Autocarros para a manifestação da CGTP deixam alunos sem transporte

Autarquia de Montemor-o-Novo avisou a escola que não estava garantido o transporte de refeições, nem o prolongamento do horário.

Os alunos de Montemor-o-Novo podem ficar estar tarde sem transportes escolares. Tudo porque as carrinhas e autocarros das juntas de freguesia e da câmara municipal foram desviados para a manifestação desta tarde da CGTP, em Lisboa, para apoiar o governo de esquerda.

Na comunicação enviada à escola pela autarquia, liderada pela CDU, refere-se que "na sequência da concentração agendada para o próximo dia 10 de novembro", informa-se que "a partir das 11.30 poderá não estar garantida a realização do transporte escolar, para os alunos transportados pelas viaturas municipais e pelas viaturas das Juntas de Freguesia". "Igualmente poderá não ser garantido o fornecimento de refeições e os prolongamentos de horário dos estabelicimentos de ensino do concelho", pode ainda ler-se no aviso, publicado pelo deputado do PSD, Carlos Abreu Amorim no twitter.

O DN contactou o agrupamento de escolas de Montemor-o-Novo, onde fonte da direção apenas confirmou a situação e garantiu que todas as crianças foram transportadas e receberam as refeições. Em comunicado, a autarquia respondeu que "eventuais perturbações ficaram a dever-se à participação voluntária de trabalhadores da Câmara Municipal de Montemo-o-Novo na ação de luta convocada pela CGTP para hoje". Garantindo ainda que o dia de aulas no concelho "decorreu dentro da normalidade".

Também por causa da participação dos funcionários na manifestação, 900 alunos da escola Carlos Paredes na Póvoa de Santo Adrião, Odivelas, ficaram sem aulas. Apenas duas das 24 funcionárias decidiram não fazer greve, que o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local convocou especificamente para que os seus associados pudessem ir à concentração desta tarde, refere a Rádio Renascença.

Atualizado às 17.46

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG