Associação Sindical Juízes realça perfil de "grande jurista" de Henriques Gaspar

O presidente da associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) salientou hoje a "elevada craveira" intelectual e jurídica do novo presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Henriques Gaspar, eleito logo à primeira volta, com 33 votos.

Em declarações à agência Lusa, Mouraz Lopes referiu que, além do facto de se tratar de uma pessoa com o perfil de "grande jurista", é de destacar a eleição de Henriques Gaspar logo à primeira volta, o que traduz um voto de "grande confiança" dos seus pares na escolha da quarta figura do Estado.

Num momento de crise económica, social e também política, Mouraz Lopes entende que é fundamental ter à frente do STJ uma pessoa "com o peso intelectual e jurídico" de Henriques Gaspar, que já desempenhou funções internacionais junto do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.

"É importante ter à frente do STJ uma pessoa com um currículo tão sólido como o de Henriques Gaspar", concluiu Mouraz Lopes, observando que o recém-eleito presidirá também, por inerência, ao Conselho Superior da Magistratura (CSM), órgão de gestão e disciplina dos juízes.

O juiz conselheiro Henriques Gaspar foi eleito hoje presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) para um mandato de cinco anos, sucedendo no cargo a Noronha Nascimento.

A eleição de Henriques Gaspar, em votação secreta do colégio eleitoral formado por 62 juízes conselheiros (uma ausência devido a doença), foi realizada na primeira volta.

Henriques Gaspar recolheu a maioria qualificada dos votos (33), enquanto o juiz conselheiro Orlando Afonso registou 15 intenções favoráveis.

Pereira da Silva contabilizou oito votos, Pires da Rosa somou três e Nuno Cameira apenas um.

Na contagem de votos foram apurados dois votos em branco.

Natural de Pampilhosa da Serra, Henriques Gaspar foi nomeado para o STJ em março de 2003.

Nascido em 1949, Henriques Gaspar foi delegado do procurador da República em Benavente, Montemor-o-Velho, Condeixa-a-Nova, Lousã, Pombal e Coimbra.

Juiz estagiário em Coimbra e efetivo na Figueira da Foz, desempenhou as funções de procurador da República no Círculo Judicial de Coimbra e no Tribunal da Relação de Coimbra e procurador-geral adjunto no Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República.

Também esteve no Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, foi membro do Comité Diretor dos Direitos do Homem e do Comité Contra a Tortura das Nações Unidas.

Com a jubilação de Noronha Nascimento, por vontade própria, a seis meses antes de antigir o limite de idade (70 anos), Henriques Gaspar desempenha as funções de presidente do STJ desde 12 de junho.

Henriques Gaspar toma posse em setembro, para um mandato de cinco anos.

Exclusivos