Associação lança campanha em defesa dos caracóis

"Gostava de ser cozido vivo? Ele também não". É esta a frase que dá mote à campanha de sensibilização lançada pela Acção Directa.

Dezenas de pessoas fotografadas com uma imagem de um caracol e com um cartaz onde se lê "Gostava de ser cozido vivo? Ele também não!" compõem a campanha de sensibilização levada a cabo pela Acção Directa - Libertação Animal, grupo que, segundo diz a página no Facebook, pretende promover o veganismo.

"Esta é a primeira parte de uma específica ação de sensibilização contra o uso e exploração de caracóis, esses mesmos seres sencientes que são cozidos vivos e tão frequentemente consumidos nas épocas mais quentes do ano", lê-se junto do álbum de fotografias.

"Pretendemos alertar para o facto de que, assim como nós, estes animais sentem e por tal sofrem nas circunstâncias em que são instrumentalizados apenas para satisfazer o palato de quem os procura como petisco", explicam ainda.

Os comentários na própria página são muitos: uns a favor, outros contra. E há até quem se lembre das lagostas. "Todos os seres sencientes merecem a nossa defesa. Atualmente estamos com esta ação de defesa dos caracóis, entre outras campanhas. Se tiver alguma campanha em defesa das lagostas que queira realizar teremos todo o gosto em participar", diz o grupo.

"Quantos caracóis já pisaste e esborrachaste sem te importares com isso? E não acredito que nunca tenhas comido caracóis! Deixem-se de falsos moralismos", diz alguém que comenta a ação. "Se vocês ouvissem os gritos dos bróculos de cada vez que vão para a panela.... Tenham juízo, pá!!!", diz outro. "Eu já me tinha colocado esta questão, (existem outros animais que também o são, como o marisco em geral) mas algum sugere uma solução para este problema? É que no caso de santolas e animais de porte maior, a solução seria relativamente simples. Mas no caso dos caracóis é difícil matá-los antes de cozê-los", comenta outra pessoa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG