Assembleia Municipal recusa proposta do BE sobre o Aleixo

O dossiê relativo ao Bairro do Aleixo teve uma passagem breve na Assembleia Municipal do Porto de segunda-feira, tendo-se resumido a uma iniciativa do Bloco de Esquerda (BE), que a maioria dos partidos ignorou e depois chumbou.

O BE propôs a "constituição de um grupo de trabalho, composto por representantes da Mesa da Assembleia Municipal e de cada um dos grupos municipais, para no prazo de 60 dias avaliar a situação da operação urbanística em curso nos terrenos do Bairro do Aleixo e a participação do município" no fundo constituído em 07 de outubro de 2010.

Os bloquistas avançaram com esta iniciativa após as notícias que dão conta de aparentes problemas com esse fundo, criado para demolir o bairro do Aleixo. Participam nele o ex-selecionador nacional António Oliveira, a autarquia e a ESPART, através da Rioforte Investments (do Grupo Espírito Santo).

Rui Moreira ordenou ainda em abril ao gabinete interno de auditoria da Câmara a realização de um relatório sobre o processo.

Na Assembleia Municipal, o autarca reafirmou que "o relatório estará pronto ainda este mês", que só depois tomará uma "medida adequada" relativa ao Aleixo e que por isso, em seu entender, é "prematuro" avançar com qualquer iniciativa.

PS, PSD e o movimento Porto, O Nosso Partido, afeto a Rui Moreira, mantiveram-se em silêncio sobre o tema.

A proposta bloquista foi chumbada com 36 votos contra. Seis deputados votaram a favor e quatro abstiveram-se.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG