Ana Gomes promete manter investigação em aberto

Ministério Público arquivou suspeitas de corrupção. Arguidos e assistentes esperam ser notificados para reagi.

Ao fim de oito anos de investigação, a qual passou pelas mãos de vários procuradores do Ministério Público, várias Cartas Rogatórias, buscas e constituições de arguidos, o Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) decidiu arquivar o processo sobre a compra de dois submarinos. Aliás, um dos principais crimes em causa, corrupção, já tinha prescrito em junho deste ano. Ao DN, a eurodeputada socialista Ana Gomes, assistente no processo, afirmou que irá esperar pelo despacho de arquivamento para decidir se pede a abertura de instrução. Uma coisa é certa, garantiu: "Não vou deixar morrer esta investigação".

Segundo adiantou, ontem, a revista "Visão" o despacho de arquivamento faz uma súmula dos dezoito volumes que compõem o processo principal dos submarinos. O texto é uma peça processual complexa que junta resumos das diligências efetuadas nos últimos oito anos, excertos relevantes de inquirições, diagramas sobre os negócios, a cronologia completa dos factos, referências a resoluções de conselhos de ministros, correio eletrónico entre as partes, cláusulas contratuais sujeitas a alterações, memorandos e até recados para a hierarquia do Ministério Público. Porém, nem Ana Gomes, nem outros intervenientes no processo foram notificados da decisão dos procuradores.

Leia mais no e-paper ou na edição impressa do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG