Alunos invadem salas em escola de Braga

Os exames nacionais ficaram suspensos esta manhã na Escola Secundária Sá de Miranda, em Braga, com os alunos a invadirem as 22 salas onde decorria a prova.

De acordo com informações recolhidas pela Federação Nacional de Educação (FNE), o exame estava previsto para 22 salas daquele estabelecimento de ensino mas só em sete se realizaram.

Descontentes, os alunos que ficaram impedidos de realizar o exame invadiram o edifício e entraram nas salas onde decorria a prova de português, invalidando a avaliação.

Elementos da PSP encontravam-se pelas 10:30 dentro da escola secundária Sá de Miranda, em Braga, porque alguns alunos que não realizaram hoje o exame de português por causa da greve decidiram invadir sete salas de aula, disse fonte do estabelecimento de ensino.

Em declarações à Lusa, o professor Ernesto Macedo afirmou que os alunos invadiram "sete salas onde decorria a prova" de Português.

No total, adiantou, o exame decorreu em sete das 23 salas de aula do estabelecimento de ensino.

De acordo com o docente, houve uma primeira investida por parte dos alunos, que depois acabaram por sair, contudo, voltaram a invadir as salas da escola, onde ainda permaneciam pelas 10:30.

Um outro professor da mesma escola adiantou à Lusa que os alunos andavam a cantar "Grandola, Vila Morena" e o hino nacional pelos corredores do estabelecimento de ensino.

O professor José Coimbra, da escola Carlos Amarante (Braga), confirmou à Lusa que houve igualmente uma tentativa de invassdão por parte dos alunos da escola.

De acordo com o presidente da associação de estudantes da Escola Sá de Miranda, Sara ferreira, os alunos de várias escolas de Braga estão a planear concentrarar-se na Avenida Central.

Os estudantes que se encontravam pelas 11:10 no exterior da Sá de Miranda e que tinham invadido as salas afirmam já ter visto o enunciado do exame e que estão a conseguir comunicar por telemóvel com os colegas que estão a fazer exame.

Estes alunos já cantaram o hino nacional e a 'Grândola Vila Morena'.

Pelas 11:15, permaneciam pelo menos três elementos da PSP à porta do estabelecimnetos de ensino.

Os alunos relataram o uso de bastões por parte da PSP, que questionada pela Lusa escusou-se a comentar.

Ao mesmo tempo, os exames continuavam a decorer na escola Sá de Miranda, em Braga.

Ainda em Braga, a prova foi realizada parcialmente nas escolas Carlos Amarante e de D. Maria II. No restante distrito, não se realizaram exames em Amares e Vila Verde.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG