Alunos da Universidade de Lisboa sem acesso às cantinas

O presidente da Associação Académica da Universidade de Lisboa (UL) afirmou hoje que os alunos inscritos pela primeira vez ou que aguardam renovação do cartão de estudante estão sem usar os refeitórios, enquanto a UL indicou haver alternativas para refeições sociais.

André Machado explicou à agência Lusa que o "período de produção" dos cartões, que servem como meio de pagamento de refeições, impossibilita sobretudo os alunos que se inscrevem pela primeira vez nas faculdades e institutos da Universidade de Lisboa (UL).

A questão vai ser abordada na próxima semana numa reunião com o reitor, mas a associação já apresentou como "solução provisória" a emissão, a "título gratuito", de um comprovativo de matrícula que seria controlada por um funcionário nos refeitórios.

André Machado acrescentou que a associação aguarda uma resposta "entre hoje e amanhã [quinta-feira]", indicando que este será um dos assuntos da próxima reunião com o reitor, a par do processo de fusão de serviços.

A denúncia da situação nas cantinas da UL foi feita à Lusa por um aluno da faculdade de Belas Artes, Luís Daniel, que explicou estar em causa o "novo sistema de pagamento de refeições", que resulta de uma parceria entre os serviços de ação social da UL e a Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Este sistema "está a impedir que muitos alunos usufruam do seu direito à alimentação a custos reduzidos (2,40 euros)", com os estudantes a serem remetidos para a secretaria da faculdade, que, por seu lado, encaminha o assunto para a CGD ou para os serviços de ação social, no Campo Grande.

"Os alunos não pediram parceria com nenhum banco e só pretendem ter direito aos serviços supostamente ao seu dispor, que é uma das razões porque pagam propinas", afirmou este estudante.

Em resposta à agência Lusa, David Xavier, administrador dos Serviços de Ação Social da UL, referiu que aqueles serviços "não tiveram conhecimento de nenhum aluno matriculado na Universidade de Lisboa tenha sido impedido de usufruir da refeição social a que tem direito pelo facto de não possuir ainda o referido cartão".

"Os alunos cuja situação relativamente ao cartão não se encontre ainda regularizada tem ao seu dispor nos vários refeitórios outras soluções que permitem acesso à refeição social", garantiu o responsável.

Referindo o caso concreto da cantina das Belas Artes, David Xavier disse haver informação de um grupo de utentes, cujo cartão tinha uma anomalia.

"Nestas circunstâncias cumpre aos nossos serviços assegurar as melhores soluções, não tendo sido remetida em momento algum a responsabilidade para as secretarias das faculdades", afirmou o mesmo responsável, avançando que a questão técnica se "encontra em fase de resolução".

O mesmo responsável adiantou que este é um projeto em teste, que "permite uma maior acessibilidade, diminuindo tempos de espera em linha, e um maior controlo do tipo de utente autorizado a beneficiar da Ação Social da Universidade de Lisboa" e que "não tem necessariamente de ser um cartão com vertente bancária ".

Na sua página da rede social Facebook, a Faculdade de Belas-Artes (FBAUL) da UL indicou, pelas 16:45, que todos os alunos que "ainda não conseguiram ativar o seu cartão de identificação Caixa IU, para pagamento das refeições, os SASUL (Serviços de Ação Social da Universidade de Lisboa) estarão presentes na cantina da FBAUL já a partir de amanhã (dia 19) até ao final da próxima semana (28 setembro), das 11:00 às 14:00, para proceder às ativações".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG