Algarve com maioria quase absoluta no mês em que os políticos vão a banhos

Marcelo, Costa e Passos rumam ao Sul, tal como muitos outros políticos. Mas há quem aproveite para viajar para fora do país

As temperaturas sobem, mas a política vai a banhos e a luta partidária tenderá a arrefecer nas próximas semanas. Agosto é tempo de férias e a designada silly season está aí à porta, com boa parte das personalidades políticas da nação a rumar sobretudo ao sul do país para umas semanas de descanso.

O Presidente da República, membros do governo, líderes partidários, deputados e autarcas vão a banhos, sobretudo no Algarve, mas muitos não deixam a política de parte por completo e aproveitam o período para estudar algumas matérias e preparar já a rentrée.

Nas primeiras férias no papel de Chefe do Estado, Marcelo Rebelo de Sousa manterá, "como habitualmente", a opção pelo Algarve entre os dias 10 e 24 de agosto, como confirma ao DN fonte da presidência.

O mais alto cargo da nação não altera as rotinas do professor, que tem preferência pela praia do Gigi, na Quinta do Lago, onde tem por hábito arrendar uma "palhota" no areal e conviver com amigos.

Menos pública é a agenda do primeiro-ministro e dos membros do governo. Tudo o que é possível saber da parte da assessoria de imprensa sobre António Costa é que o primeiro-ministro terá "uns dias de férias no início de agosto no Sul de Portugal, com a família". Os gabinetes de alguns dos ministros do executivo socialista não revelam muito mais, salientando que este tipo de informação é de cariz pessoal.

Oposição também ruma ao Sul

O líder da oposição, Pedro Passos Coelho, é outro dos indefetíveis do Algarve e continua a fazer férias na Manta Rota, em Vila Real de Santo António. O presidente do PSD ficará hospedado na casa de praia onde nos últimos anos tem passado uns dias de descanso com a mulher, Laura Ferreira, e a filha de ambos, Júlia, de 8 anos.

Segundo fonte dos sociais-democratas, o ex-primeiro-ministro entra de férias a 1 de agosto e passará duas semanas no Algarve. No final desse período, aproveitará a sua presença na região para estar na rentrée do partido, junto dos militantes, na tradicional Festa do Pontal, que decorrerá como sempre na marginal de Quarteira.

Quem também opta pelas águas quentes algarvias, que nesta época têm maioria absoluta, é a líder do CDS, Assunção Cristas, que na segunda e terceira semanas de agosto estará de férias com o marido e os filhos.

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, também "ruma ao Sul do país", segundo fonte do partido, que prefere não especificar o local. Passará um curto período entre o final de julho e o princípio de agosto.

Parta o Norte ruma Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, para uns dias em família. No ano passado, o local "perto da praia e do campo", que fonte do partido prefere não divulgar, serviu-lhe até de inspiração para escrever o livro Mitos Urbanos, aproveitando as manhãs. A outra semana de férias da líder bloquista será passada nos Açores.

Leituras para todos os gostos

Tal como os líderes políticos, boa parte dos deputados também elege o Algarve como destino.

É o caso de Nuno Magalhães, líder da bancada parlamentar do CDS, que, ao contrário da maioria dos colegas, prefere a segunda quinzena de agosto para umas férias em família, mas mantendo sempre as suas atenções à atividade política

"Como vou mais tarde, e tenho responsabilidades de coordenação do grupo parlamentar, tenho dificuldades em desligar-me da política durante as férias, sobretudo na última semana de agosto, que, por causa das rentrées, é um pouco agitada. Mesmo assim, tendo deixar o trabalho de parte: procuro a praia, a piscina... Vou estando atento à televisão e às bancas dos jornais, mas nesta altura opto por não comprar jornais: só compro diariamente um desportivo porque sou benfiquista e gosto de andar atento às novidades. Levo também uns livros sobre futebol, que é uma das coisas de que gosto muito, para me abstrair durante as férias", refere ao DN o centrista.

O eurodeputado social-democrata Carlos Coelho também opta pelo Algarve e revela a sua dificuldade em se afastar da política nas férias: "Não consigo desligar-me a 100% até porque tenho a cargo a direção da Universidade de Verão do PSD - entre 29 de agosto e 4 de setembro. Mas vou à praia no Algarve em família e vou a aproveitar para ler. Levo dez a doze livros e tento ler todos... Houve anos em que levava mais."

João Oliveira, líder da bancada parlamentar do PCP, também confessa que levará muitos livros na bagagem, mas prefere ir a banhos na Costa Vicentina.

"A regra nas minhas férias é ter sempre uns dias de descanso na Costa Vicentina em agosto com a família. Apesar de tentar descansar ao máximo, não me consigo desligar da política em absoluto. Levo alguns livros para me abstrair, mas outros têm que ver com o trabalho parlamentar", revela ao DN.

Com espírito de viajante

O deputado André Silva, único representante do PAN na Assembleia da República, será um dos que viajarão para um destino mais distante. Fará uma jornada pela Ásia, tendo a China, o Tibete e o Nepal como destino.

Mas há mais quem dê um toque de aventura às suas férias. É o caso de Ascenso Simões, deputado do Partido Socialista eleito cabeça de lista por Vila Real, ex-secretário de Estado no primeiro governo de José Sócrates e responsável pela campanha de António Costa, que reconhece que opta por umas férias atípicas na companhia da filha.

"Metemo-nos no carro e decidimos na véspera o destino do dia seguinte. Isso levanta-nos alguns problemas. Como não fazemos reservas, por vezes temos dificuldade em encontrar sítio onde ficar. Já ficámos a dormir no carro... A regra é ser tudo decidido a cada dia. Não sabermos para onde vamos, onde ficamos e até quando. Este ano só sei que vamos começar em Sevilha. Depois decidimos se seguimos até Marrocos ou continuamos pelo Sul de Espanha até França", conta ao DN Ascenso Simões, esclarecendo que nas férias não tem tempo para pensar em política: "Nas férias não quero ter nenhuma obrigação de outra natureza. Nem sequer levo livros porque não dá tempo sequer para ler. Só levo o telemóvel para ligar à noite para a família e desligo completamente do trabalho. Até aos fins de semana já consigo deixar de ler jornais e ver televisão."

Optando também por um destino fora do país, mas já a gozar uns dias de descanso está Marisa Matias. A eurodeputada do Bloco de Esquerda e candidata a Belém nas últimas eleições presidenciais passa uma semana de férias em Cabo Verde com amigos, mas mantém-se ligada à política, como explica ao DN. "Trouxe alguns relatórios da UNICEF e da ACNUR sobre os refugiados para ler porque têm que ver com a missão do Parlamento Europeu", explicou a bloquista, revelando ainda que este ano decidiu revisitar a obra do único português Prémio Nobel da Literatura.

"Trouxe dois livros de José Saramago: o Objecto Quase e Jangada de Pedra. Sobretudo agora, acho que faz todo sentido reler a Jangada de Pedra", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG