Alegado desaparecimento no mar foi falso alarme

O alegado desaparecimento de uma mulher no mar do Cabo Mondego, na tarde de hoje, foi um falso alarme, da autoria do popular que ligou para os bombeiros, disse o comandante do porto da Figueira da Foz.

O homem, de 19 anos, desempregado e residente na cidade, estava já referenciado noutros falsos alertas de socorro e acabou por confessar o falso alarme à autoridade marítima.

"Veio prestar declarações e confessou que foi falso alarme", disse à agência Lusa Rui Amado, comandante do porto da Figueira da Foz.

Na sequência, o dispositivo de busca que se mantinha no local - uma praia de arribas rochosas junto à entrada da recém-desativada fábrica da Cimpor - foi desmobilizado, adiantou.

Segundo Rui Amado, o homem incorre em procedimento criminal, tendo sido elaborado um auto que vai ser enviado para o Ministério Público.

O falso alerta foi dado às 14:45 de hoje, tendo o jovem ligado para os bombeiros a dizer que tinha visto "uma senhora a cair na água", afirmou à Lusa Nuno Osório, comandante dos Bombeiros Municipais da Figueira da Foz.

Os bombeiros enviaram para o local uma equipa de mergulhadores, reforçada depois com meios marítimos da Capitania do Porto da Figueira da Foz e outros meios da PSP da Figueira da Foz, Proteção Civil Municipal, uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER/INEM) e uma ambulância dos Bombeiros Voluntários, num total de mais de 20 operacionais.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG