Agrediu amante até à morte depois de ter sexo com ela

Suspeito agrediu amante até à morte na madrugada de 25 de fevereiro, junto à estação da Fertagus, em Foros da Amora, depois de terem relações sexuais. Foi detido pela PJ de Setúbal e ficou em preventiva

Os investigadores da PJ de Setúbal esclareceram o mistério em torno da morte de uma mulher, cujo cadáver fora encontrado no dia 25 de fevereiro, junto à estação da Fertagus de Foros da Amora (Seixal), com múltiplas lesões provocadas por um objeto contundente. A investigação apurou que o objeto em causa foi o cabo de uma marreta, com um prego na base, com que o agressor espancou a vítima até à morte, soube o DN com fonte da PJ. O alegado homicida foi detido pela PJ na última quinta-feira, em sua casa, em cumprimento de um mandado de busca e detenção. Presente a tribunal na sexta-feira, ficou em prisão preventiva.

O suspeito é um trabalhador da construção civil, de 45 anos, que atraiu a vítima, uma mulher com quem tinha uma relação extraconjugal, para a estação de comboios na madrugada do dia 25 de fevereiro. Depois de ter relações sexuais no local com a amante, terá havido uma desavença entre os dois. O homem, movido pelo ciúme, pegou no cabo da marreta e agrediu a mulher, "violenta e repetidamente", até à morte, segundo referiu a PJ hoje, em comunicado.

Segundo apurou o DN, o alegado homicida foi captado por câmaras de videovigilância na estação e a sua roupa ficou com vestígios de sangue. Levou do local todos os pertences da amante, incluindo o telemóvel, porque pretenderia vasculhar o aparelho para ver se a mulher trocava mensagens com outro homem que não ele.

Depois de espancar a amante até à morte, tapou o corpo com vegetação. Mas como foi descuidado, esteve longe de cometer o chamado crime perfeito. Foi uma questão de dias até ser detido.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG