Agência Espacial Europeia vai financiar 30 start-ups em Lisboa

Às empresas candidatas é pedido que desenvolvam uma projeto de reutilização de tecnologia utilizada no Espaço para as necessidades da Terra - na saúde, nos transportes, na energia.

A agência espacial europeia (ESA) lança hoje, em Lisboa, uma incubadora de empresas que vai apoiar, nos próximos cinco anos, 30 empresas portuguesas que apliquem tecnologia testada no Espaço em setores como saúde, transportes, segurança ou energia.

A incubadora da ESA em Portugal, a décima na Europa, destina-se a empresas com menos de cinco anos criadas em Portugal que terão de desenvolver, durante dois anos, uma ideia e um protótipo com base no princípio da transferência da tecnologia usada no Espaço para a Terra.

O projeto, com financiamento garantido de 50 mil euros por empresa, é gerido em Portugal pelo Instituto Pedro Nunes - Associação para a Inovação e o Desenvolvimento em Ciência e Tecnologia, em parceria com o Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e a agência DNA Cascais, que cedem instalações.

Metade do financiamento é assegurado pela ESA e o restante pelos parceiros portugueses, através de fundos públicos, sendo que, ao fim de cinco anos, é esperado que as empresas captem verbas no valor global até oito milhões de euros, assinalou à Lusa o diretor do Departamento de Inovação do Instituto Pedro Nunes, Carlos Cerqueira.

Segundo Carlos Cerqueira, as primeiras candidaturas serão selecionadas em janeiro ou fevereiro e a média será de seis por ano, com o acompanhamento técnico das empresas a ser supervisionado por técnicos da ESA.

O lançamento é feito no Pavilhão do Conhecimento, no âmbito do 5.º Fórum Português do Espaço, que conta com as presenças dos ministros da Educação e Ciência, Nuno Crato, da Economia, Pires de Lima, da secretária de Estado da Ciência, Leonor Parreira, e do diretor da ESA para a área da tecnologia, Franco Ongaro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG