ACT suspende frente de obra na Barragem do Tua

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) anunciou hoje que a suspensão de uma frente na obra da Barragem de Foz Tua se manterá até à verificação das causas do acidente que provocou a morte de um operário.

A ACT, em comunicado, referiu que, na sequência do acidente de trabalho mortal ocorrido na sexta-feira, realizou uma visita inspetiva à obra do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua, que está em construção entre Alijó (Vila Real) e Carrazeda de Ansiães (Bragança), procedendo "à suspensão imediata dos trabalhos no paramento de jusante do Bloco B1-E1".

De acordo com a autoridade, este procedimento manter-se-á "até averiguação das causas do acidente e adoção das medidas de prevenção e proteção da segurança e saúde dos trabalhadores que se revelarem necessárias".

Na sexta-feira, entre as 23:00 e as 24:00, ocorreu um acidente nesta barragem que provocou a morte a um trabalhador de 50 anos e naturalidade guineense.

A vítima sofreu uma queda em altura, de cerca de 10 metros, na operação de elevação de consolas de cofragem trepante na obra.

No sábado, a EDP explicou que "o acidente ocorreu durante uma operação de elevação de cofragem, no paramento de jusante da Barragem, operação esta que é efetuada dezenas de vezes ao longo de cada dia".

A cofragem é uma espécie de molde de madeira onde o cimento 'encaixa', sendo depois retirada a estrutura de madeira, que serve de esqueleto de uma obra.

A ACT explicou ainda que, neste momento, se encontra a apurar as causas do acidente, a elaborar relatório do mesmo e que, só então, se poderá equacionar o levantamento da suspensão dos trabalhos na referida obra".

Entretanto, referiu que, numa segunda visita realizada hoje, os inspetores da elaboraram uma notificação para "tomada de medidas de segurança e saúde no trabalho, relativamente à proteção coletiva e individual dos trabalhadores".

Foi ainda elaborada uma recomendação, para que sejam dadas instruções concretas aos trabalhadores no que respeita às tarefas a realizar por cada um.

"Consciente da gravidade dos acidentes de trabalho que têm ocorrido nos grandes estaleiros dos empreendimentos hidroelétricos", a direção da ACT anunciou que "vai estar especialmente atenta, reforçando a fiscalização de obras desta envergadura".

Já em janeiro de 2012, uma derrocada nas obras da barragem de Foz Tua provocou a morte de três trabalhadores.

No mês a seguir, em fevereiro, um rebentamento que deu origem a um deslizamento de pedras e terras provocou ferimentos em quatro trabalhadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG