Nadine desapareceu sem causar estragos significativos

A passagem da tempestade tropical Nadine pelo arquipélago dos Açores não causou danos significativos, estando já ultrapassadas as condições meteorológicas adversas em todas as ilhas, disse à agência Lusa o presidente da Proteção Civil.

"O Nadine já desapareceu, dissipou-se", frisou, em declarações à Lusa, o presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, Pedro Carvalho, acrescentando que a situação meteorológica é atualmente "calma em todas as ilhas".

Segundo uma nota da Proteção Civil, "o dispositivo de prevenção esteve implementado desde as 00:00 de hoje, tendo-se registado cerca de 17 ocorrências sem gravidade", nas ilhas Terceira e São Miguel.

O mesmo comunicado adianta que "todas as situações foram rapidamente resolvidas pelo dispositivo, sendo o tempo máximo de intervenção sido inferior a 45 minutos".

De acordo com a Proteção Civil dos Açores, as medidas de autoproteção adotadas pela população em geral "permitiram que esta situação fosse ultrapassada sem danos pessoais ou materiais de relevo", não havendo desalojados a registar.

O comunicado de imprensa revela ainda que "todas as estradas da região estão transitáveis, com exceção de uma estrada municipal, na Lombinha-Maia, em São Miguel, para limpeza, por determinação do vereador da respetiva Câmara Municipal".

Em declarações à Lusa, Pedro Carvalho considerou que o balanço da intervenção do dispositivo de resposta à tempestade tropical "não podia ser mais positivo", acrescentando que "era melhor que não tivesse acontecido nada, mas não há danos significativos a registar".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG