Hospital da Horta não recolhe sangue há seis meses

O Hospital da Horta, no Faial, Açores, está há cerca de seis meses sem efetuar recolhas de sangue, na sequência de uma auditoria que concluiu não existirem condições técnicas e humanas exigíveis para aquela tarefa.

A situação foi confirmada à Lusa por Conceição Nascimento, presidente do Conselho de Administração do Hospital da Horta, acrescentando que já foram tomadas as medidas necessárias para que as recolhas de sangue sejam retomadas nesta unidade de saúde.

"Tivemos uma auditoria da Alta Autoridade para o Sangue, que considerou que tínhamos incumprimentos em algumas situações", afirmou Conceição Nascimento, salientando que foi necessário criar um novo espaço para o funcionamento dos serviços de sangue e adquirir equipamentos e recursos humanos.

A presidente da administração do Hospital da Horta frisou que os investimentos exigidos pela auditoria já estão concluídos, restando agora aguardar que uma nova auditoria "dê luz verde ao funcionamento dos serviços".

O encerramento temporário dos serviços de sangue implica a requisição de sangue ao continente, o que representa um custo mensal de cerca de 20 mil euros.

Segundo Conceição Nascimento, a requisição de sangue ao exterior implica outro inconveniente grave, relacionado com a dependência das ligações aéreas entre o continente e os Açores que, por vezes, obriga a inutilizar o sangue.

"Quando não vem o avião ou as ligações são canceladas, devido ao mau tempo ou por outra razão, o sangue, algumas vezes, foi inutilizado", admitiu.

Além da suspensão da recolha de sangue, o hospital também tem estado impedido nos últimos dois meses de efetuar mamografias.

A situação, que resulta de uma avaria no único mamógrafo em funcionamento naquela unidade de saúde, deverá ficar resolvida ainda esta semana, segundo a presidente da administração.

O Hospital da Horta, um dos três existentes nos Açores, serve os habitantes das ilhas do Faial, Pico, Flores e Corvo.

Ler mais

Exclusivos