Derrocada obriga a realojamento de quatro famílias

Uma derrocada na vila das Velas, na ilha de São Jorge, nos Açores, causou hoje danos em quintais e casas de arrumos e levou ao realojamento, por precaução, de quatro famílias, segundo a Proteção Civil e a câmara.

A derrocada aconteceu por volta das 02:00 e, apesar de não ter havido danos pessoais, provocou estragos em quintais e casas de arrumos, disse à Lusa o presidente da Câmara de Velas, Luís Silveira.

Por outro lado, a autarquia, os bombeiros e os serviços regionais de ambiente da ilha optaram por criar um "perímetro de segurança" na zona, como "salvaguarda".

Por causa disso, foram retiradas quatro famílias das suas habitações (num total de sete pessoas), que estão realojadas com casas de familiares.

Por outro lado, as autoridades pediram também à Casa de Repouso João Inácio de Sousa para ser interditado o acesso a um anexo normalmente usado como centro de dia.

Luís Silveira referiu que estas são medidas tomadas por precaução, lembrando que a ilha está sob aviso amarelo da meteorologia, por causa da chuva.

O autarca disse ainda que foi já pedido às autoridades regionais para enviarem técnicos à ilha que façam uma avaliação da zona da derrocada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.