Carlos César diz que Marcelo e Marques Mendes são "ilusionistas e mestres do disfarce"

O presidente do PS/Açores, Carlos César, criticou esta noite os comentadores televisivos "contratados à última hora para iludir o auditório" que participaram no comício do PSD, considerando Marcelo Rebelo de Sousa e Marques Mendes "ilusionistas e mestres do disfarce".

"Sou apenas um açoriano, não sou comentador televisivo contratado à última hora para animar e iludir o auditório. Os cavalos de Troia do centralismo, os ilusionistas, os mestres dos disfarces dos cobradores de impostos e dos corta pensões não estão aqui, estão ali ao lado", afirmou Carlos César, em Ponta Delgada, no comício de encerramento da campanha socialista para as eleições regionais de domingo.

Carlos César não deixou dúvidas a quem se referia, frisando que "estão ali ao lado, no Coliseu Micaelense, curiosamente numa rua chamada Rua de Lisboa", numa alusão ao local onde decorreu o comício de encerramento da campanha social-democrata.

O líder regional socialista alertou que as eleições de domingo "são muito importantes para a região", já que está em causa "a escolha de um governo num momento muito sensível".

"Não tenho dúvidas que o PS é a garantia mais segura para os Açores terem um governo que não vira as costas a quem precisa", frisou, acrescentando que "o PSD acha que a solução para o país é aumentar as receitas, aumentando os impostos, e diminuir as despesas, diminuindo os apoios da segurança social, a saúde e os investimentos públicos".

"Não é esse o caminho que o PS tem feito e não é esse o caminho que queremos fazer", afirmou, salientando que os executivos regionais socialistas têm feito "um caminho sem aumentar os impostos que dependem da região, sem desequilibrar as finanças públicas e sem contribuir para o défice da região e do país".

No seu discurso, Carlos César defendeu o memorando de entendimento assinado com o Governo da República, frisando que foi esse acordo que permitiu "isentar" a região de medidas de austeridade aplicadas no continente e na Madeira.

"Vale a pena votar a favor desta diferença que fazemos, de um governo do PS que respeita as pessoas, que as une, que valoriza a autonomia e que não se conforma e diz não ao martírio em que se transformou a governação nacional", afirmou.

Para Carlos César, "votar no PSD/Açores é transformar o governo de cá numa embaixada do governo de lá, é tirar força aos Açores e dar força ao Governo de Lisboa".

O presidente do PS/Açores e também presidente do Governo dos Açores manifestou "muito orgulho" no trabalho desenvolvido ao longo de 16 anos, mas salientou que "há sempre uma altura em que se acha que os filhos podem fazer mais e melhor", defendendo que "é tempo de uma nova geração nos Açores".

"É tempo de Vasco Cordeiro ser o nosso presidente", concluiu Carlos César, que espera ver o seu antigo secretário regional da Economia vencer no domingo as eleições regionais e suceder-lhe no cargo que assumiu em 1996.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG