A ex-PAF está "geringonçada"

José Ribeiro e Castro condenou hoje que a gestação de substituição tenha passado no parlamento com o contributo decisivo de 24 deputados do PSD, incluindo o líder, e sem a presença de Paulo Portas.

"As pessoas que não têm a posição do BE neste momento não têm representação parlamentar. Mesmo quem votou contra, fê-lo numa posição muda, e não afirmativa. Isso é muito triste, não é bonito em termos de representação parlamentar e os dois líderes da PAF [Coligação Portugal à Frente - PSD e CDS-PP] contribuíram para isso. Está tudo 'geringonçado'", afirmou Ribeiro e Castro.

Um grupo de 24 deputados do PSD em que se incluiu o presidente, Pedro Passos Coelho, foi decisivo na sexta-feira para aprovação em votação final global do projeto do Bloco de Esquerda sobre legalização da gestação de substituição.

Apesar de todos os deputados do CDS-PP terem votado contra, Ribeiro e Castro considerou que a ausência do antigo líder centrista Paulo Portas "está ao mesmo nível do voto a favor de Pedro Passos Coelho".

"Deve ser criticado e eu critico que os dois líderes da PAF não tenham informado o eleitorado sobre o que pensam sobre esta matéria", disse.

Ribeiro e Castro condenou que o CDS, apesar de votar contra, não tenha sido afirmativo nessa oposição, assim como no alargamento das técnicas de procriação medicamente assistida (PMA), que passaram a estar acessíveis a todas as mulheres, independentemente de terem problemas de infertilidade.

Na prática, as alterações quanto à PMA permitem que as lésbicas e as mulheres solteiras de qualquer orientação sexual possam recorrer às técnicas para engravidar, em casos de ausência, doença ou lesão de útero.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.