A "difícil gestão de emoções" para escolher vagas em contrarrelógio

Escolha da especialidade para os jovens médicos termina hoje. Falta de vagas atrasou publicação do mapa. O DN conta a história de jovens que tiveram uma semana para decidir.

Joana M. escolheu no sábado de manhã o resto da sua vida. "Não estamos só a decidir a especialidade. É escolher a nossa vida, o local para onde vamos, se é para fora, quem será o nosso tutor", conta.

Faz parte da lista de 1548 jovens médicos que tiveram de escolher a especialidade num processo atribulado, que arrancou com atraso e teve o prazo encurtado para menos de uma semana. As escolhas terminam hoje. Dia 2 de janeiro é o começo de uma nova vida.

A escolha da especialidade tem sido nos últimos anos marcada pela dificuldade em encontrar vagas para todos os jovens que terminam o ano comum (o primeiro de exercício prático depois do curso e em que podem experimentar várias áreas médicas).

Este ano não foi exceção. Mas o processo mostrou-se mais turbulento e atrasou em duas semanas a lista de vagas. Atraso justificado com o objetivo de garantir 1548 vagas e dar assim um lugar a todos os internos para fazer formação. São mais 71 do que no ano anterior.

Leia mais no e-paper do DN ou na edição impressa

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG