A clandestinidade, a comunicação, e um hino para o Grande Oriente

Três candidatos a grão-mestre - Fernando Lima, Adelino Maltez e Daniel Madeira Castro - apresentaram programas

Um quer "tirar o Grande Oriente Lusitano (GOL) da clandestinidade", outro não vai tão longe e diz apenas pretender uma "melhor e mais eficaz comunicação com o mundo profano", enquanto o terceiro propõe a "criação de um hino do GOL". Estas são, em síntese, algumas das propostas dos candidatos a grão-mestre do GOL, a maior obediência maçónica portuguesa, cuja eleição decorre nos dias 3 e 4 de junho.

O tema "Clandestinidade" foi colocado por José Adelino Maltez, considerando no seu respetivo programa que, por um lado, deve manter-se o segredo interno maçónico mas a "maçonaria não pode ser, em democracia, local de opacidade, tal como de nós diz o mundo profano". "Com respeito absoluto pelo segredo maçónico, iniciático, a maçonaria tem de mostrar ao mundo que é uma organização de bem, com homens bons e de bons costumes", lê-se no programa do professor universitário candidato a grão-mestre.

Já Fernando Lima, atual grão-mestre e recandidato, também coloca a relação com o mundo profano (isto é, o exterior à maçonaria) como uma das suas prioridades, defendendo melhor comunicação de modo a que haja uma "perceção mais justa da comunidade sobre quem somos e o que fazemos". O advogado e presidente do Grupo Galillei (que sucedeu à antiga Sociedade Lusa de negócios) apresenta como trunfos os apoios de dois antigos grão-mestres: António Arnaut e António Reis. Fernando Lima defende ainda "maior exigência e rigor" no recrutamento de novos elementos.

A relação com o mundo exterior à maçonaria passa ao lado do terceiro candidato, Daniel Madeira Castro, economista, que elaborou um programa muito virado para o interior da organização, avançando, por exemplo, com a tal proposta de criação de um hino para o GOL, assim como letras e músicas de canções para "aprendizes" (primeiro grau maçónico) e "companheiros" (segundo grau). No que diz respeito à abertura ao exterior, este candidato apenas admite "uma prudente relação com instituições e visitantes externos" à biblioteca, arquivo geral e museu do Grande Oriente. A campanha interna arranca já amanhã, com um debate a três num hotel em Coimbra. A 9 deste mês, há um novo debate organizado pela Loja Europa com os três candidatos, podendo outros ser organizados até à data das eleições, os dias 3 e 4 de junho.

Apenas os irmãos com o grau de mestre poderão votar. Atualmente, no Grande Oriente Lusitano, serão cerca de dois mil. No fundo, os maçons do GOL vão escolher entre a continuidade de Fernando Lima, cujo lema de campanha é precisamente "Renovar e prosseguir", e uma linha não tão ortodoxa protagonizada por José Adelino Maltez. A candidatura de Madeira de Castro, segundo fontes maçónicas, "está demasiado virada para dentro, quando o desafio é o exterior.

Exclusivos