73% das portagens para ligeiros mantêm preço em 2013

A Estradas de Portugal (EP) garantiu hoje que os preços de 73% dos pórticos de cobrança de portagens da rede operada por aquela empresa não vão sofrer aumentos em 2013 devido à aplicação de regras de arredondamento.

Fonte da empresa explicou à agência Lusa que "por força da aplicação da regra do arredondamento para o múltiplo de cinco cêntimos mais próximo", em 73% dos pórticos da rede das antigas SCUT e subconcessionada da EP "não irá haverá qualquer aumento no valor da taxa de portagem" para ligeiros.

Ainda para os veículos de classe 1, em 26% dos pontos de cobrança o aumento será cinco cêntimos, enquanto que apenas um pórtico terá um acréscimo dez cêntimos no próximo ano, acrescentou a fonte.

As novas tarifas de portagens serão aplicadas a partir das 00:00 de 01 de janeiro de 2013 e, segundo a EP, nas restantes classes - monovolumes e pesados -, "o aumento médio situa-se nos 02%".

A fonte acrescentou que em "41% dos pontos de cobrança para as classes 2, 3 e 4 não haver qualquer alteração ao preço atual" e que, globalmente, apenas em 11,5% dos 372 pórticos/classes existentes, como resultado da aplicação das regras do arredondamento, a atualização significará "um acréscimo igual ou superior a 10 cêntimos".

No caso das sete antigas concessões SCUT, com 78 pontos de cobrança multiplicados por quatro classes diferentes, 46% permanecerão com tarifas inalteradas em 2013, enquanto que em 40% dos casos o aumento será de cinco cêntimos.

Nestas antigas vias Sem Custos para o Utilizador (SCUT), quando comparadas com os valores praticados em janeiro de 2012, a EP garante que se verifica "que em praticamente todos os pórticos" o valor a cobrar a partir do próximo ano "é claramente inferior, resultado do desconto de 15% que entrou em vigor no passado mês de outubro".

"A estabilidade nos preços que agora se verifica, aliada à iniciativa de outubro passado em alargar o benefício da redução das taxas de portagem a todos os clientes destas autoestradas, resultam do esforço continuo da EP na adoção de estratégias que visam aumentar eficiência destas infraestruturas e captar mais clientes para as autoestradas", rematou a fonte.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG