71.898 detenções foram registadas em 2011

A Polícia Judiciária, GNR, PSP e Serviço de Estrangeiros e Fronteiras efetuaram 71.898 detenções em 2011, sendo que 21.350 decorreram da investigação criminal (29,69%), indica o Relatório de Segurança Interna (RASI) hoje divulgado.

Relativamente às pessoas detidas, 88,5 por cento (%) eram homens e 11,5% mulheres. Da totalidade dos detidos, 78,7% têm nacionalidade portuguesa e os restantes 23,1 outra nacionalidade.

O documento adianta que foi aplicada medida de coação privativa da liberdade a 38,4%, designadamente prisão preventiva e obrigação de permanência na habitação.

Os quatro Órgãos de Polícia Criminal (OPC) cumpriram, no total, 5.409 mandados e pedidos de detenção emitidos pelas autoridades judiciárias competentes, 1.535 mandados para cumprimento de pena e emitiram 8.977 pedidos de paradeiro.

Em 2011, foram realizadas 9.172 buscas e, em termos globais, foram realizadas 3,5 buscas por cada 100 inquéritos concluídos.

Quanto aos inquéritos, foram iniciados 385.319, ficaram pendentes 75.339 e foram concluídos 261.787, tendo transitado para 2012 um total de 79.987 inquéritos.

Relativamente ao destino dos inquéritos, 43.566 terminaram com uma acusação do Ministério Público, 53.906 foram arquivados e 2.756 foram remetidos a outras entidades.

No capítulo das apreensões em dinheiro, o ano passado foram apreendidos mais de 7,3 milhões de euros e 285.743 dólares.

Em 2011, foram ainda apreendidos 132 saldos de contas bancárias e suspensas 35 operações financeiras, no valor de 30.077.981 euros, no âmbito da legislação sobre branqueamento de capitais. Foram também arrestados nove edifícios.

No domínio das apreensões feitas em sede de investigação criminal há a registar o confisco de 28.488.000 cigarros, oito embarcações, 2.895 veículos e 3.644 telemóveis.

As interceções telefónicas chegaram aos 11.440 em 2011, o que representa um acréscimo de 8,46 por cento face a 2010.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG