2200 professores do quadro com horário zero

Dos 13 011 professores dos quadros de zona pedagógica, de escola ou de agrupamento que foram a concurso por não terem horários nas suas escolas de origem, 2185 ficaram ainda sem colocação, apontam os dados do Ministério da Educação e Ciência (MEC).18

Ministério sublinhou importância de medidas como o alargamento das zonas pedagógicas para reduzir número de professores dos quadros sem turmas.No ano passado, 1872 professores ficaram nesta situação.

Este ano, os horários zero afetam 1380 docentes de Quadros de Zona Pedagógica (QZP), dos 9876 que foram a concurso. Recorde-se que este ano todos os professores destes quadros tiveram de concorrer a novos lugares nas escolas por ter terminado o ciclo de quatro anos de colocação.

Já nos quadros de escola ou de agrupamento foram a concurso 3135 docentes sem horário, dos quais 25% não tiveram colocação.

O MEC alerta ainda para zonas de desequilíbrio, em que há muitos professores dos quadros e não há horários para preencher e outros locais em que existem muitos horários e faltam docentes para os ocupar. Lisboa é a zona pedagógica em que os faltam professores dos quadros para ocupar todos os lugares disponíveis.

Para os professores que ficaram agora sem lugar, resta esperar que as escolas analisem, durante a próxima semana, se ainda querem ou não os 6000 horários que ficaram por preencher. Esta será a última oportunidade para uma colocação anual para os docentes do quadro. Os lugares que sobrarem destas contas serão ocupados por contratados.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG