"Uma vergonha", diz vice do PSD sobre reposição das subvenções vitalícias

Carlos Carreiras, presidente da Câmara de Cascais, considera "imoral" a decisão dos deputados do PS e do PSD. E diz que "simboliza muito do que tem afastado os portugueses dos partidos".

Carlos Carreiras manifestou esta quinta-feira a sua "discordância absoluta" com a reposição das subvenções vitalícias para os antigos titulares de cargos políticos. Para o vice-presidente do PSD, a medida aprovada na comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Administração Pública (COFAP) é "imoral" e "uma vergonha".O também presidente da Câmara Municipal de Cascais defendeu ainda, numa publicação na rede social Facebook, que a iniciativa de deputados do PS e do PSD "simboliza muito do que tem afastado os portugueses do sistema partidário" e constitui "um erro colossal".O dirigente social-democrata prosseguiu com o tom crítico, sublinhando que a medida "é o pior exemplo que a classe política dá à sociedade", destacando, na mesma publicação, que existem "318 beneficiários que custam aos contribuintes 758 mil euros por mês", ou seja, "sete milhões de euros por ano". "Não sabemos quem são todas e todos, mas sabemos que muitos deles continuam no ativo, outros acumulam com reformas (inclusive do Estado) e alguns são os paladinos da moral publica nos orgãos de comunicação social, de onde recebem como comentadores", rematou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG