Subconcessão "garante atividade industrial e construção naval"

O presidente da holding das indústrias de Defesa estatais sublinhou esta terça-feira que a subconcessão dos terrenos e infraestruturas dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) "garante a continuidade da atividade industrial" e da construção naval.

A subconcessão "não é a solução perfeita mas garante a continuidade" da atividade industrial e construção naval em Viana, referiu Vicente Ferreira, numa audição perante a comissão parlamentar de Defesa.

Vicente Ferreira, após traçar o quadro geral que encontrou ao assumir a presidência da holding Empordef, destacou a "situação financeira profundamente deficitária" dos ENVC, com um passivo da ordem dos 250 milhões de euros, uma dívida bancária superior a 160 milhões de euros, capitais próprios negativos de mais de 100 milhões de euros e rendas por pagar "há anos".

O presidente da Empordef reafirmou que a construção dos dois navios encomendados aos ENVC pelos Açores traduziu-se num "prejuízo total" de cerca de 70 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG