"Somos a primeira linha de defesa desta crise"

A VISITA MINUTO A MINUTO: A chanceler alemã abandonou Portugal pouco depois das 18:00, dando por terminada a sua visita de cerca de 6:30 ao nosso país.

18:51 - O avião que transporta a chanceler alemã, Angela Merkel, descolou de Lisboa, depois da sua primeira visita oficial a Portugal, disse à Lusa fonte da Força Aérea.

18:00 - Angela Merkel abandona o CCB, em direção ao aerporto de Figo Maduro, com um atraso de cerca de 45 minutos em relação ao programa.Passos Coelho saiu do Centro Cultural de Belém logo depois da chanceler alemã.

17:30 - Período de debate entre Merkel e Passos Coelho com os empresários dos dois países. Momento fechado à counicação social.

17:25 - Termina a intervenção de Passos Coelho.

17:08 - Passos Coelho agradece a vista de Angela Merkel.O primeiro-ministro que não basta a cooperação entre os Estados, é preciso que os empresários também cooperem para que a economia cresça."Aquilo que já fizemos é um passo em frente na cooperação euopeia", refere o PM. Passos Coelho diz que já foram dados passos importantes para corrigir desiquilibrios importantes, como o défice. "A confiança dos mercados refletem que estamos a resolver os problemas de governação que nos levaram à crise", afirma o PM. "Estas reformas são cruciais para promover uma economia aberta", diz Passos Coelho, falando dos acordos conseguidos ao nível da Concertação Social. "Temos a ambição de ser uma das economias mais dinâmicas da Europa", sublinha o chefe do Governo português."A Europa só é grande com a participação de todos, sejam do norte, do sul, do leste ou do oeste", prossegue."O euro foi criado para que o capital circule, sem discriminações geográficas". "Somos a primeira linha de defesa desta crise", rematou Passos Coelho, referindo-se a Portugal.

16:59 - Merkel começa a sua intervenção no CCB. "A situação em Portugal é seria, é difícil, mas é claro o caminho que devemos trilhar. O fortalecimento das PME é a chave para o sucesso, para voltar a ter sucesso". "O Governo português tomou medidas corajosas e importantes", prossegue. A chanceler alemã fala que fica contente com o investimento feito pelas empresas portuguesas na Alemanha e adianta que virão a ser feitas joint-ventures entre empresas dos dois países."Temos de ser mais competitivos na zona euro", sublinha Merkel. "Sei que uma das grandes barreiras é o financimanto das empresas", continua a governante alemã, que prossegue que "sempre que pudermos estaremos ao lado dos empresários portugueses".

16:45: Angela Merkel já chegou ao Centro Cultural de Belém para falar no fórum empresarial.

16:16: Terminou a conferência de imprensa, a chanceler afirmou diversas vezes a necessidade de melhoria da competitividade para o futuro do país e da União Europeia. Merkel segue com 45 minutos de atraso para o Centro Cultural de Belém, onde fará uma intervenção na sessão de encerramento do Encontro Empresarial Luso-Alemão.

16:13: A chanceler alemã afirma que as manifestações e as criticas populares fazem parte e que não se sente incomodada. "A fase é difícil mas o que Portugal está a fazer é em benefício do país e da Europa. A Europa existe para o nosso bem e é a nossa felicidade", diz a chanceler.

16:11: "Como primeiro-ministro estou a fazer pelo meu país aquilo que é importante para Portugal", diz Pedro Passos Coelho. "Não me importo de ser criticado. O que estamos a fazer é para o nosso bem e não para impressionar ninguém", afirma o primeiro-ministro. "Nunca lastimarei o preço que tive que pagar para que Portugal saia da crise em que vive hoje".

16:09: "Quando já não for chanceler venho passar as minhas férias aqui, agora não tenho tempo", diz a chanceler alemã. "Farei tudo para que Portugal tenha um futuro feliz e para que nos demos bem na Europa", diz Angela Merkel.

16:06: Merkel diz que quer dar um sinal de coesão. "Não podemos passar o dia a duvidar daquilo que fizemos ontem". "O programa está a ser cumprido de forma excelente", e é a realização de um grande feito, diz a chanceler.

16:04: Primeiro-ministro descreve os alemães como "inspiradores", mas destaca a flexibilidade e capacidade de ajuste dos portugueses.

16:03: "Um país que não está consciente dos seus problemas, nunca os resolverá".

16:02: "É um pouco doentio assistir a um certo debate na comunicação social", diz o primeiro-ministro, dando conta do pessimismo dos media em relação ao programa de ajustamento.

15:58: "Nunca ninguém em Portugal me ouviu dizer que o processo de ajustamento era seguro e sem riscos", diz Passos Coelho. "Se a opinião do Governo fosse a de que era necessário renegociar o memorando isso significaria um falhanço do nosso processo de ajustamento". O primeiro-ministro diz que devemos fazer o que está ao nosso alcance para que tudo dê certo e não pensar nos riscos.

15:54: "Estamos a atravessar tempos extremamente difíceis e os nossos países são países onde se pode manifestar a opinião. Eu vivi 30 anos num país onde não o podíamos fazer", refere a chanceler alemã.

15:52: Merkel diz que "naturalmente" a Alemanha é também atingida pela recessão, já que 60% das exportações alemãs são para a UE. A chanceler defende assim que é necessário reganhar confiança na União Europeia.

15:50 "As pessoas quando se manifestam de modo a mostrar a sua insatisfação pelas dificuldades merecem o nosso respeito", diz o primeiro-ministro em relação aos protestos que se têm feito sentir um pouco por todo o país. No entanto, Passos Coelho ressalva que "ninguém disse que ia ser fácil", mas afirma que "os portugueses têm sido muito corajosos ao enfrentar estas situações".

15:47: "Olhando para a China e para a Índia sabemos que temos de melhorar a nossa competitividade", refere a chanceler alemã.

15:43. Angela Merkel diz que "Portugal está a ter o programa de ajustamento porque precisava de apoio. Quem negociou esse programa não foi a Alemanha, foram instituições como o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional".

15:40: "Foi possível dado o nosso nível de desempenho conseguir uma revisão do défice". O primeiro-ministro lembra ainda que o programa de Portugal já foi ajustado.

15:38: "As medidas que visem consolidar as nossas despesas são inevitáveis", afirma o primeiro-ministro.

15:36: Passo Coelho responde a perguntas dos jornalistas. "Não podemos culpar o remédio pelo estado do doente", diz o primeiro-ministro.

15:33: "A dificuldade reside no desnível da competitividade, mas Portugal é um exemplo de que a competitividade pode ser melhorada. Sinto uma forte determinação do país em superar um período difícil. A Alemanha quer apoiar Portugal, sobretudo na formação de jovens". A chanceler alemã diz ainda que a mão-de obra-qualificada é a chave para o futuro português.

15:31: A chanceler alemã fala em trazer esperança para o país e sublinha a necessidade de reformas estruturais.

15:29: Merkel refere-se a Vasco da Gama e ao Forte de São Julião da Barra, destacando as descobertas portuguesas e a vontade do povo nacional em avançar, dizendo que "a Europa tem de provar novamente ao mundo que é competitiva".

15:28: Angela Merkel começa por destacar a importância do encontro empresarial, que decorre no CCB.

15:25: "A Alemanha tem sido um apoio importante no contexto europeu", refere o primeiro-ministro.

15:23: "Todos queremos que os fundos de coesão possam servir para estar como instrumento de uma política de convergência económica". O primeiro-ministro diz ainda que abdicar do processo que foi iniciado não seria só um mau serviço para os portugueses, como para a Europa.

15:21: Passos Coelho acredita que "a chanceler ficou com uma boa nota do clima político e social" do nosso país.

15:19: "Foi possível passar em revista o essencial das nossas revisões ao processo de ajustamento, que ocorreu de forma mais intensa e mais rápida. Conseguimos em dois anos fazer aquilo que inicialmente só se previa em 2016." Pedro Passos Coelho esclarece ainda que Portugal não culpa os parceiros europeus pela situação.

15:15: Pedro Passos Coelho destaca a proximidade territorial existente entre os dois países e a importância da Alemanha para o nosso país. "O processo de ajustamento português progrediu", afirma o primeiro-ministro.

15:14: Teve início a conferência de imprensa conjunta da chanceler alemã com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. Angela Merkel chegou quase um quarto de horas atrasada.

13:35: Merkel já está no Forte de São Julião da Barra para almoçar com o primeiro-ministro e com o Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas.

13:18: A chanceler já saiu do Palácio de Belém para se dirigir ao almoço marcado com Passos Coelho para as 13:30, no Forte de São Julião da Barra, em Oeiras. Paulo Portas estará também presente.

12:40: De acordo com o programa oficial divulgado hoje pelo gabinete do primeiro-ministro, o encontro entre Cavaco Silva e Angela Merkel tem uma duração prevista de pouco mais de meia hora.

12:38: Chanceler cumprimenta o Presidente da República, Cavaco Silva. Merkel trouxe consigo três assessores de diferentes áreas: política externa, política económica e política europeia. Angela veio ainda acompanhada por uma tradutora, para facilitar o entendimento com os chefe de Estado português.

12:37: Angela Merkel já chegou ao Palácio de Belém, com dois minutos de atraso.

12:20: Comitiva de Merkel chega a Belém sobre apupos dos manifestantes. A chanceler vem mais atrás.

11:44. Chanceler alemã aterra no Aeroporto de Figo Maduro.

Vários protestos foram convocados através das redes socais, no entanto toda a zona está fortemente controlada pelas autoridades, não permitindo a aproximação do aeroporto a quaisquer manifestantes. Está no entanto presente no local a dupla de músicos revolucionários Homens da Luta, que representaram Portugal no festival da Eurovisão em 2010, na Alemanha.

Esta é a primeira vez que a chefe do Governo da Alemanha visita oficialmente Portugal e reunir-se-á com o Presidente da República, com o primeiro-ministro e o ministro dos Negócios Estrangeiros e com empresários dos dois países.

Exclusivos