Solução não é denúncia do memorando, é sair do euro

O economista João Ferreira do Amaral revelou-se hoje desalinhado com a principal exigência do Congresso Democrático das Alternativas - a denúncia do memorando da troika.

Falando na sessão temática dedicada aos "desafios da denúncia do memorando da troika", o ex-assessor económico de Jorge Sampaio na Presidência da República, considerou que "não é possível" Portugal romper com o memorando se se quiser manter no euro.

Assim, o caminho é outro: "A minha resposta é sair do euro - mas de forma orientada. A saída do euro deve ser negociada, e até pode arranjar bons apoios na Europa", afirmou. Ou seja: uma rutura "consensual" com a UE - e até financiada por esta, para a transição de regresso ao escudo.

João Ferreira do Amaral revelou-se ainda muito pessimista face ao próximo ano: "Vai ser um ano de ruturas importantes, quer a nível económico quer a nível social", disse, prognosticando ainda que o desemprego "aumentará muito mais" do que o previsto pelo Governo (16,4%).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG