Soares não vai ao 25 de Abril porque Governo não merece

O ex-presidente da República Mário Soares confirmou hoje que não participará nas cerimónias do 39º aniversário do 25 de Abril, no parlamento, em Lisboa, por considerar que quem está atualmente no poder representa o contrário dos valores da Revolução.

"Pois não [participarei], porque eu sou solidário com os homens que fizeram o 25 de Abril, que são justamente os homens do MFA [Movimento das Forças Armadas]. É tão simples como isso", disse Mario Soares, quando questionado acerca da sua ausência nas cerimónias.

Interrogado se quem está hoje no poder não merecia a sua participação nas homenagens da revolução da Liberdade, Soares respondeu: "Qual homenagem? Nunca fizeram nada por isso e são mesmo o contrário".

Mário Soares participou hoje na apresentação do Museu Do Aljube - Resistência e Liberdade, na antiga Cadeia do Aljube, em Lisboa, onde esteve preso por diversas vezes.

Os 39 anos do 25 de Abril vão ser quinta-feira assinalados com a tradicional sessão solene na Assembleia da República, aberta este ano com a balada "Trova do vento que passa", de Manuel Alegre, que também estará ausente.

O poeta, antigo deputado do PS e ex-candidato presidencial, não irá estar presente na sessão solene no Parlamento, em solidariedade com a Associação 25 de Abril, que recusou marcar presença pelo segundo ano consecutivo.

Fonte próxima do ex-deputado do PS confirmou a ausência e adiantou que Manuel Alegre estará em Coimbra numa outra iniciativa comemorativa da Revolução dos Cravos.

A Associação 25 de Abril decidiu voltar a não estar presente na sessão solene na Assembleia da República por considerar que o poder político que governa o país "está contra o 25 de Abril, os seus ideais e os seus valores".

A sessão solene começa às 10:00, com intervenções de representantes de todos os grupos parlamentares, PSD, PS, CDS-PP, PCP, BE e PEV, da presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, e do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.