Soares e Alegre apoiam Capitães e não vão à AR

Pela primeira vez, o ex-presidente Mário Soares faltará à sessão solene de celebração do 25 de Abril no Parlamento. Manuel Alegre anunciou também que não comparecerá e Jorge Sampaio faz depender da sua agenda internacional a sua presença.

"Em solidariedade para com os militares, decidi não ir", disse o ex-Presidente ao jornal 'Público'. Soares respondeu assim ao anúncio feito pela Associação 25 de Abril, num manifesto intitulado "Abril não desarma".

"O poder político que atualmente governa Portugal configura um outro ciclo político que está contra o 25 de Abril, os seus ideais e os seus valores. Em conformidade, a Associação 25 de Abril anuncia que não participará nos atos oficiais nacionais evocativos do 38.º aniversário do 25 de Abril", lê-se manifesto, lido ontem na sede da associação, em Lisboa, pelo seu presidente, o coronel Vasco Lourenço, perante jornalistas e membros da Associação.

"Uma celebração do 25 de Abril sem aqueles que o fizeram não tem o mesmo significado", disse por seu lado Manuel Alegre ao DN. O conselheiro de Estado e histórico do PS só admite participar amanhã na manifestação popular da Avenida da Liberdade.

Por seu lado, o antigo Presidente da República Jorge Sampaio faz depender da sua agenda internacional a presença na sessão solene comemorativa do 25 de Abril na Assembleia da República, disse ao DN fonte próxima. "O dr. Jorge Sampaio tem um compromisso internacional que está por confirmar. Se se confirmar não estará presente porque não tem o dom da ubiquidade. Se não se confirmar, estará presente", acrescentou a mesma fonte.

Outra ausência é a do capitão de Abril e ex-deputado Marques Júnior. Uma decisão tomada "muito antes" de conhecer a decisão da Associação 25 de Abril (A25A) em se demarcar dessa cerimónia. "Discordo que a A25A não se faça representar, independentemente das posições político-sociais que entendesse assumir" em relação ao Governo. "podemos gostar ou não, mas é esta Assembleia da República que existe e que convida" a assistir às cerimónias, sustentou Marques Júnior.

Exclusivos