Seixas da Costa lamenta campanha feita por Seguro

O embaixador Francisco Seixas da Costa publicou este domingo uma carta aberta a António José Seguro, no seu blogue, em que lamenta o tom de "agressividade deslocada e não construtiva" da sua campanha e diz que não votará nele.

"Posso estar enganado, mas quem vi" durante a campanha "foi um homem ferido, amargo, com uma agressividade deslocada e não construtiva. Alguém que teimou em 'deitar sal' sobre as feridas, como se, com essa atitude, quisesse consagrar uma vingança pessoal", escreveu Seixqas da Costa, no blogue "duas ou três coisas".

"Não gostei nada do que vi. E, por isso, meu caro António José Seguro, com toda a consideração pessoal que sabe que mantenho por si, lamento ter de dizer-lhe que, hoje, não vai poder contar com o meu voto", concluiu o embaixador.

Seixas da Costa traçou um retrato muito positivo da tarefa "sempre muito difícil" de Seguro como secretário-geral do PS desde que assumiu a liderança do PS, elogiando nomeadamente o seu voto favorável ao Tratado Orçamental e a "inesperada maestria" com que resolveu o problema do desafio de António Costa.

Ao escolher eleições primárias, "provou assim que não fugia à disputa e, mesmo para além disso, abriu-a para além do 'aparelho', que o acusavam de ter 'na mão'", reconheceu Seixas da Costa, agradecendo os convites feitos por Seguro e a sua própria participação na iniciativa "Novo Rumo".

"Tudo estaria mais ou menos bem se o debate, a partir daí desencadeado, se tivesse processado com elevação. E aqui, meu caro António José Seguro, quero dizer-lhe que você esteve muito longe daquilo que eu esperaria de si. [...] E isso manchou, em definitivo, a sua imagem. Espero que hoje tenha plena consciência disso", observou ainda o diplomata.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG