Seguro pede preços mais justos para os agricultores

O líder do Partido Socialista (PS) defendeu hoje na Lourinhã a necessidade de regular os preços dos produtos agrícolas junto da distribuição de modo a beneficiar mais os produtores e a evitar falências e despedimentos.

"Se houver um esmagamento dos preços, os produtores têm de fechar, o que não é desejável para o país. Desejo que as regras de mercado funcionem, mas funcionem em benefício dos produtores e dos consumidores", afirmou aos jornalistas António José Seguro, durante uma visita a uma central fruteira no concelho da Lourinhã, que emprega 150 trabalhadores e exporta 80 por cento da sua produção.

Para o secretário-geral do PS, "é importante haver um equilíbrio [dos preços] entre a produção e a distribuição", explicando que os produtores agrícolas "vivem momentos de dificuldade" por não conseguirem obter o lucro na venda dos seus produtos.

António José Seguro colocou a necessidade da regulação dos preços dos produtos agrícolas na sua agenda, numa altura em que defendeu que a aposta no crescimento da economia deve ser uma prioridade nacional.

Questionado sobre as afirmações do primeiro-ministro, que em resposta a António Borges, recusou a diminuição dos salários, o socialista frisou que "é preciso criar riqueza para pagar as dívidas" e a solução não deverá passar "pelo empobrecimento, muito menos pela redução de salários".

O líder do PS ouviu preocupações relativas às taxas alfandegárias elevadas por comparação a outros países, o que aumenta os custos para colocar um produto à venda no mercado externo.

Manuel Évora, administrador da empresa Luís Vicente, exemplificou com o caso da Costa Rica, onde Portugal paga taxas 13,5 por cento mais altas do que a Espanha para aí vender produtos agrícolas, tendo em conta a existência de acordos bilaterais que Espanha mantém com esse país.

Segundo o responsável, a redução do consumo devido à crise têm contribuído para a diminuição dos preços no mercado interno, o que obriga o setor a exportar os seus produtos como alternativa para "conseguir sobreviver".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG