Seguro pede intervenção de Cavaco na RTP

O líder do Partido Socialista manifestou-se hoje contra o modelo de concessão do serviço público de televisão anunciado por António Borges na quinta-feira. E pede a intervenção de Cavaco Silva.

António José Seguro, de visita esta manhã às zonas ardidas de Gaula, no concelho de Santa Cruz, na Madeira, manifestou-se contra o modelo que prevê concessionar por 15/20 anos o serviço público de televisão e a licença do canal, anunciado na quinta-feira pelo economista António Borges, conselheiro do Governo para as privatizações.

António José Seguro, referiu que a proposta do Governo de concessionar a RTP1 a privados e encerrar a RTP2 "pode servir alguns interesses, mas não serve o país nem o interesse nacional" e afirmou ter esperança que "esta proposta do Governo não passe no crivo do Presidente da República (...) mas, se passar, quando o PS for governo, voltará a existir um serviço público de televisão", garantiu.

O líder do PS assegura que, caso este modelo vá para a frente, quando for Governo, voltará atrás na decisão, retomando o serviço público de televisão tal como existe hoje."Eu quero ser muito claro: quando o PS for Governo voltará a existir um serviço público que se seja prestado por uma televisão pública com uma gestão rigorosa e que sirva os interesses nacionais", disse.

Seguro está na Madeira para a "Festa da Liberdade", promovida anualmente por socialistas madeirenses.