Seguro deseja que "2014 seja o ano de um novo rumo"

O secretário-geral socialista deixa, numa mensagem de Natal dirigida aos portugueses, a vontade de que o próximo seja "de um novo rumo para Portugal". A política do Governo de "sacrifícios" e "privações" foi "longe demais".

António José Seguro retoma o lema da convenção que os socialistas vão promover, nos primeiros meses do próximo ano, para marcar a diferença, na sua leitura, face ao Governo.

"Empobrecer nunca foi a solução, este não é o País que queremos nem que merecemos", aponta, depois de enunciar os "tempos difíceis" que "milhares e milhares de portugueses" vivem, com "dolorosas privações" e "pesados sacrifícios": quem está no desemprego, os que emigraram, os idosos sozinhos, "as pessoas atingidas pelo drama da pobreza".

"Muitos destes sacrifícios, muitas destas privações, foram longe demais e são resultado dos erros e das más escolhas do Governo." E o secretário-geral socialista sentencia: "Não tinha que ser assim."

Seguro aponta então o "novo rumo", que o PS defende: "A nossa missão é construir um país mais justo", "um novo tempo que aposte na criação de riqueza e emprego" e "investir nas pessoas". "Somos um povo extraordinário", remata a mensagem, hoje divulgada.

Na noite de 25, será a vez do primeiro-ministro, Passos Coelho, falar aos portugueses.

Exclusivos