Seguro atribui "recuo" de Crato ao PS

O secretário-geral do PS retira dividendos da decisão do ministro Nuno Crato em pedir um parecer ao Conselho Nacional de Educação sobre a inclusão do inglês como disciplina curricular no 1º ciclo.

"O ministro Nuno Crato tomou a decisão de retirar a oferta universal do inglês, eu disse que ia apresentar um projeto-lei para o inglês continuar a ser de oferta universal e ele, passado três ou quatro dias, vem dizer que vai pedir ao CNE para avaliar da possibilidade de introduzir o inglês nos currículos, ou seja, já o obrigamos a recuar", disse ao DN.

E perante a possibilidade do ministro da Educação ter tomado essa decisão antecipadamente sublinhou: "se quisesse fazer isso devia ter dito o contrario: "quero introduzir o inglês no currículo e vou pedir um parecer ao CNE".

Já numa visita a fabrica Zereovo, em Ferreira do Zêzere, numa ação de apoio ao candidato socialista António Vicente Martins, alertou para o facto de não haver inglês no próximo letivo. "O Governo esta completamente desorientado, nuns dias tira a oferta universal do inglês e depois, perante a pressão publica e a proposta do PS volta a falar na oferta do inglês".

O que quero deixar claro é que no próximo ano não vai haver inglês e isso é de uma grande desigualdade. É de uma grande insensibilidade, mas sobretudo de uma grande confusão", sublinhou António José Seguro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG