Sampaio da Nóvoa considera importante reflexão sobre supervisão do mercado financeiro

Candidato a Belém esteve esta terça-feira reunido com Carlos Tavares, presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

O candidato presidencial António Sampaio da Nóvoa considerou hoje ser necessária uma reflexão sobre os modelos e mecanismos de supervisão do mercado de valores mobiliários, disse à Lusa após uma reunião com uma entidade reguladora.

O candidato reuniu-se hoje com o presidente do Conselho de Administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos Tavares, encontro que, segundo Sampaio da Nóvoa, "passou pelas várias questões relacionadas com a supervisão, com os mecanismos de supervisão, com propostas relacionadas com modelos de supervisão que existem noutros países europeus comparados com o que existe em Portugal, e a necessidade de se fazer uma reflexão sobre isso".

Questionado pela Lusa acerca do caso BES, António Sampaio da Nóvoa afirmou que "certamente que se conversou também sobre as questões do BES", não querendo porém pronunciar-se acerca dos acordos entre o Novo Banco e os clientes emigrantes que se consideram lesados pela instituição.

"É uma situação sobre a qual eu neste momento concreto não me quero pronunciar, uma vez que não tenho ainda informação suficientemente sólida sobre isso, sei apenas as notícias que saíram nos jornais", disse, acrescentando ser um assunto que acompanha "com muito cuidado" e sobre o qual está a "tentar recolher toda a informação necessária para poder depois tomar uma posição".

"Neste momento parece-me ainda prematuro da minha parte estar a tecer considerações sobre isso", sublinhou o anunciado candidato à Presidência da República.

Em relação à reunião com a CMVM, Nóvoa referiu que serviu para apresentar a carta de princípios, de algum modo explicar às entidades, às pessoas, quais são os princípios em que se baseia esta candidatura", assim como o porquê da candidatura, "em nome de quê, e com que objetivos" e "sobretudo ouvir as pessoas, ouvir quais são os principais problemas desses setores".

Durante a tarde, o candidato e antigo reitor da Universidade de Lisboa, vai reunir-se também o presidente da Autoridade da Concorrência, a qual, segundo o candidato, será baseada na mesma temática da reunião na CMVM, mas "numa outra perspetiva".

Ainda hoje à tarde o candidato terá um encontro com dirigentes do Conselho Nacional da Juventude, na "mesma lógica de apresentar os princípios e ouvir da parte das pessoas e das entidades quais são os problemas dos setores".

"As questões da juventude são para mim cruciais ao longo desta campanha, de perceber onde é que estão os jovens, o que é que pensam, o que é que não pensam, como é que querem participar, que novas formas de participação é que há na vida social, na vida pública, na vida política e isso para mim é também um tema muito importante", declarou.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG