Sampaio da Nóvoa apresenta candidatura à presidência com críticas às políticas do Governo

VÍDEO. O ex-reitor da Universidade de Lisboa prometeu que, se for eleito presidente da República, não será "um espectador impávido da degradação da nossa vida pública".

António Sampaio da Nóvoa apresentou-se hoje como candidato a chefe de Estado dizendo que "o presidente não governa nem legisla", mas "tem um poder moderador e regulador" e, por isso, "obrigação de expor, com clareza, as suas ideias para Portugal, de dizer o que pensa sobre as grandes questões ".

O vídeo da apresentação de candidatura:

Sampaio da Nóvoa prometeu ainda, caso venha a suceder a Cavaco Silva: "Não serei um espectador impávido da degradação da nossa vida pública". O presidente da República tem, segundo disse, de restaurar a confiança dos portugueses no Estado de Direito, nas instituições, na autoridade moral e na credibilidade de quem desempenha um cargo público.

Sampaio da Nóvoa criticou duramente as políticas seguidas pelo Governo PSD/CDS, "de uma austeridade que criou mais desigualdades, que forçou a emigração, que aumentou a dívida". "O que nos faz falta é uma outra visão, uma outra ideia do que pode ser Portugal no século XXI".

Numa cerimónia que decorreu no Teatro da Trindade, em Lisboa, Sampaio da Nóvoa recordou que não tem filiação partidária nem nunca exerceu cargos políticos "no sentido estrito do termo", mas acrescentou que esse facto "marca uma diferença". "A minha candidatura procura dar corpo a dinâmicas que estão a surgir na Europa e no Mundo que vão além das dicotomias tradicionais esquerda/direita".

O ex-reitor da Universidade de Lisboa disse ainda qual será uma das suas "grandes causas" se for eleito: "promover uma estratégia nacional de valorização do conhecimento e dos jovens para conseguir que levem a sua vitalidade à economia e à sociedade".

Os ex-presidentes da República Mário Soares e Jorge Sampaio marcaram presença no Teatro da Trindade, em Lisboa, onde o ex-reitor da Universidade de Lisboa, Sampaio da Nóvoa, apresentou, ao início da noite, a sua candidatura às eleições presidenciais do próximo ano.

O Teatro da Trindade estava cheio, e muitas dezenas de pessoas ficaram à porta, tendo assistido ao evento através de um ecrã gigante.

Pelo menos três ex-ministros do PS, António Pinto Ribeiro (Cultura), António Mendonça e Mário Lino (ambos ex-titulares das Obras Públicas), marcaram presença.

Exclusivos