Salgado prometeu compensar contabilista pela demissão

Francisco Machado da Cruz disse que o ex-presidente do BES terá garantido uma contrapartida financeira pelo "adeus" ao Grupo Espírito Santo. E recusou responsabilidades sobre a Rioforte.

"Depois fazemos as contas." Foi esta a frase que Ricardo Salgado terá dito a Francisco Machado da Cruz na altura (março de 2014) em que o contabilista se demitiu dos cargos que desempenhava no Grupo Espírito Santo (GES), pelo menos a julgar por aquilo que o comissaire aux comptes afirmou aos deputados na audição de quinta-feira na comissão de inquérito à gestão do Banco Espírito Santo (BES).

De portas fechadas, por ter invocado segredo de justiça, e num tom "confessional", segundo foi explicado ao DN, o contabilista falou durante quase nove horas. E, pelo meio, garantiu que, apesar da alegada promessa daquele que ficou conhecido por "Dono disto tudo", nunca recebeu qualquer compensação por ter deixado de gerir as contas da Espírito Santo International (ESI), holding do grupo sediada no Luxemburgo, e de integrar a administração da Rioforte Investments SA.

Saiba mais na edição impressa ou no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG