Reunião para debater soluções para jovens desempregados

O ministro Adjunto e dos ssuntos Parlamentares, Miguel Relvas, recebe hoje os parceiros sociais para debater soluções para os jovens desempregados, cuja taxa ultrapassava, no final do ano passado, os 35 por cento.

A taxa de desemprego dos 15 aos 24 anos atingia os 35,4 por cento no final de 2011, segundo números divulgados na semana passada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que revelam que houve uma subida significativa no quarto trimestre de 2011, chegando aos 14 por cento, mas o aumento foi ainda mais expressivo entre os mais jovens.

No segundo trimestre de 2011, o desemprego jovem estava nos 27 por cento; no terceiro, passou para 30 por cento; no quarto, deu um 'salto' de mais de cinco pontos percentuais, para 35,4 por cento, o que significa que há agora, segundo os números do INE, 156 mil jovens desempregados, mais de um terço do total deste grupo etário.

É com este pano de fundo que o ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares se reúne com os parceiros sociais, no âmbito do novo cargo de coordenador da Comissão Interministerial de Criação de Emprego e Formação Jovem.

A Comissão Interministerial integra 12 secretários de Estado, nomeadamente o do Emprego, o da Administração Pública e o dos Assuntos Europeus. De acordo com um comunicado do gabinete do ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares, o Governo "compromete-se a apresentar medidas concretas para combater o desemprego jovem".

Portugal receberá nas próximas semanas a visita de uma "equipa de ação" da Comissão Europeia destinada a estudar a forma de utilizar fundos comunitários para reduzir o desemprego jovem.

Esta iniciativa foi lançada pelo presidente da Comissão, José Manuel Durão Barroso, durante o Conselho Europeu de janeiro, e visa reduzir o desemprego jovem nos oito países da União com taxas mais elevadas. Na definição europeia da taxa de desemprego jovem, Grécia e Espanha têm as taxas mais altas, quase nos 50 por cento, e Portugal é o terceiro país com mais jovens desempregados, acima dos 35 por cento.

A Comissão liderada por Miguel Relvas deverá "enquadrar as políticas de juventude de uma forma global e articulada", agilizar os mecanismos de apoio às PME, ao nível de fundos da União Europeia, de modo a "aumentar as oportunidades de emprego para os jovens".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG