Relvas: 'tempos difíceis' mas 'não há alternativa'

O ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares disse hoje que os portugueses têm de perceber que o Governo não têm alternativa à introdução de portagens, já que é obrigado a "pagar as dívidas que outros assumiram".

Falando no final da inauguração do Hospital Privado de Santarém e questionado sobre os incidentes que se têm registado na A22, no Algarve, Miguel Relvas frisou que "ninguém põe portagens porque gosta de pôr".

O ministro afirmou ter consciência dos "tempos difíceis" que o país atravessa e sublinhou: "a maioria dos portugueses sabe que não temos alternativas, porque gastámos o que tínhamos e o que não tínhamos".

Criticando o endividamento do país, Relvas afirmou que cabe a este Governo a "tarefa ingrata de pagar as dívidas que outros assumiram no passado", frisando que "um Portugal endividado é um Portugal mais frágil".

O ministro comentou ainda os dados que revelam um aumento do número de inscritos nos centros de emprego em novembro, 6,7 em relação ao mesmo mês de 2010 e 2,9 em relação ao mês anterior, sublinhando que o país tem de ter mecanismos de apoio social ao mesmo tempo que vai ter que pôr a economia a crescer.

"Se pusermos a nossa economia a crescer vamos resolver o problema do desemprego. Não há milagres. A única forma de resolver o problema do desemprego é nascerem empresas e começar a gerar mais emprego", afirmou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG