Relvas chamado ao Parlamento para falar das secretas

O ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, está hoje a dar explicações à Comissão dos Assuntos Constitucionais sobre as suas ligações e do seu gabinete com o ex-diretor do SIED, Jorge Silva Carvalho.

A vinda de Miguel Relvas foi aprovada esta manhã por unanimidade na comissão dos Assuntos Constitucionais.

O presidente da comissão, o social-democrata, Fernando Negrão anunciou que falou com o ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares e este disse ter disponibilidade para estar já hoje às 17h30 na comissão, depois do debate quinzenal com o primeiro-ministro, precisamente subordinado ao tema dos serviços de informações nacionais.

Foi pela voz de Telmo Correia, que a maioria abriu o jogo. O CDS disse discordar dos fundamentos do Bloco e do PCP - a de que há contradições entre o que Miguel Relvas disse na audição anterior e as notícia entretanto vindas a público - mas o deputado centrista propôs que ministro venha já hoje ao Parlamento.

O PSD acompanhou também os argumentos centristas, mas defendendo que Miguel Relvas tem direito à defesa, Teresa Leal Coelho entendeu que o ministro devia vir o mais depressa possível a esta comissão de Assuntos Constitucionais, "eventualmente hoje". Fernando Negrão rematou a estratégia da maioria, assinalando o telefonema e a marcação da nova audição a Relvas, já para esta tarde (motivando um aparte da deputada socialista Isabel Moreira: "Ah, ele já sabia").

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG