Relvas "a preparar caminho para dar cabo" dos subsídios

O secretário-geral da CGTP criticou hoje o "sorriso cínico e maldoso" de Miguel Relvas e acusou o ministro de estar "a preparar o caminho para ver se dá cabo" dos subsídios de férias e de Natal dos portugueses.

"O ministro sempre de serviço Miguel Relvas está já a preparar o caminho para ver se nos dá cabo do 13.º e do 14.º meses", referiu Carvalho da Silva, em Braga, durante um cordão humano integrado na Semana de Luta da CGTP.

Carvalho da Silva reagia, assim, à entrevista do ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares à TVI, em que disse que, neste momento, o cenário de suspensão dos subsídios de Natal e de férias "é por dois anos", mas contrapôs que "muitos países da União Europeia só têm 12 vencimentos".

Além do conteúdo das declarações, que classificou de "desastrosas", o líder da CGTP criticou também "o sorriso cínico, maldoso e que não é admissível em democracia" de Miguel Relvas e aconselhou-o a "meter a mão na consciência".

"Parece que descobriu agora que o ano tem 12 meses", ironizou, aludindo mesmo a "tipos armados em descobridores da pólvora".

O sindicalista sublinhou que o subsídio de férias e de Natal "são retribuições de equilíbrio da distribuição da riqueza que têm a ver com o desenvolvimento da sociedade".

Sobre a eventual diluição daqueles dois subsídios nos salários dos 12 meses, Carvalho da Silva respondeu que não é "anjinho" nem tem "asinhas" para afirmar que não tem a "mínima dúvida do que aconteceria".

"O primeiro passo pode ser essa tese de que se dilui nos outros meses, mas o passo seguinte é não actualizar os salários no valor que devia ser actualizado e rapidamente se elimina o valor dos subsídios de férias e de Natal", alertou.

Para Carvalho da Silva, o fim daqueles subsídios significaria "um retrocesso social e civilizacional como o país já não assistia desde finais da década de 1940.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG