Reajustamento da ajuda não está em cima da mesa

Confrontado com divulgação de conversa com o seu homólogo alemão, Wolfgang Schauble, o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, reafirmou que o Governo não pedirá nem mais tempo nem mais dinheiro

O ministro das Finanças garantiu hoje em Bruxelas que um eventual reajustamento do programa de ajuda externa a Portugal não está neste momento a ser considerado, e reafirmou que o Governo não pedirá nem mais tempo nem mais dinheiro.

Vítor Gaspar, que falava no final de uma reunião dos ministros das Finanças da zona euro, reagia à divulgação, pela estação televisiva TVI, de uma conversa informal mantida antes do Eurogrupo com o seu homólogo alemão, Wolfgang Schauble, na qual este diz que a Alemanha está disponível para rever as condições do acordo assinado com Portugal uma vez resolvida a questão da Grécia.

O ministro português afirmou que a interpretação que faz das declarações de Schauble "quando se referiu à possibilidade de flexibilização do programa português foi nem mais nem do que aquilo que foi repetido várias vezes pelos chefes de Estado e de Governo da área do euro: isto, é que, para países com programa, que cumpram os seus programas, e que por razões que não estejam sob o seu controlo possam vir a enfrentar dificuldades no seu regresso aos mercados, podem contar com a disponibilidade dos seus parceiros europeus para estender a assistência financeira que seja necessária nessas condições".

"Não se trata de uma hipótese concreta, específica que esteja a ser considerada neste momento do tempo, mas sim um mecanismo de seguro para desenvolvimentos hoje imprevistos", disse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG