"Queremos consenso alargado mas não vamos ficar à espera"

Primeiro-ministro diz que quer "um consenso alargado" no que diz respeito à reforma do Estado mas que não vai ficar à espera que todos estejam de acordo.

As declarações foram feitos hoje, num encontro em Trás-os-Montes, um dia depois de ter sido conhecido o orçamento retificativo, um documento que António José Seguro já disse que merecerá o voto contra do Partido Socialista na Assembleia da República.

As negociações com os sindicatos terminam na próxima semana e CGTP e UGT já marcaram um greve geral da Função Pública para o dia 27 de junho.

Passos Coelho falava hoje em Bragança, Trás-os-Montes, na assinatura do protocolo para a construção de uma barragem, sobre a reforma do Estado. "Quem não cumprir tem de ser penalizado, imediata e diretamente".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG