Quem se candidatar contra o partido "será expulso"

O presidente do PSD-Madeira, Alberto João Jardim, disse hoje que os sociais-democratas que concorrerem contra o partido nas eleições autárquicas de 29 de setembro, em listas independentes, serão expulsos.

Alberto João Jardim comentava assim a formação de eventuais listas de "dissidentes" do PSD-M nos concelhos da Ponta do Sol, Machico e Porto Santo, à margem de uma conferência internacional de engenheiros sobre "Segurança, Integridade e Rotura", organizada pelas universidades do Porto, Toronto e da Madeira.

"Esses vão para a rua o que dá azo a fazer a limpeza [no partido] que nós queremos fazer", adiantou, explicando: "Os estatutos são muito claros, todo aquele que apoiar qualquer candidatura contrária ao partido é expulso do partido. É um processo liminar, a prova é evidente, não é preciso recolher prova, a prova está ali, está concorrendo ou está apoiando um candidato contra o partido".

Quanto às consequências para o partido do aparecimento destes movimentos "dissidentes", Alberto João Jardim considerou: "quanto mais movimentos, melhor, quanto mais a oposição dividida, melhor".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG