Quem são os brasileiros que estão a fazer a campanha eleitoral de Passos Coelho

O "doseamento" das aparições públicas de Passos Coelho - que vai evitar os Gato Fedorento e ainda não tem o seu rosto em nenhum cartaz da coligação - é gerido por uma equipa vinda do Brasil

Não é só o PS que tem um "marqueteiro" brasileiro - Edson Athayde - a ajudar o partido no marketing eleitoral. A coligação PSD-CDS também tem, por via do PSD, com quem esses técnicos trabalham pelo menos desde 2011. Têm sido eles a "dosear" as aparições públicas de Passos Coelho enquanto cabeça de lista da coligação em Lisboa. Ontem, o líder do PSD foi entrevistado na CMTV (ver texto em baixo) mas ainda não respondeu aos pedidos da RTP e da SIC para entrevistas individuais.

Ao contrário de António Costa, Jerónimo de Sousa, Catarina Martins ou Paulo Portas, Passos Coelho recusou, por exemplo, ser entrevistado no programa que os Gato Fedorento emitirão a partir de dia 14 na TVI, em canal aberto, no jornal da noite. Até agora, os outdoors da coligação têm também evitado os rostos de Passos Coelho ou de Paulo Portas - ao contrário do que acontece em relação aos respetivos protagonistas nas campanhas do PS e do Bloco de Esquerda, por exemplo.

O estado-maior onde a equipa está instalada fica na Rua Alexandre Herculano. André Gustavo, de 47 anos, nasceu no Recife e é sócio da Arcos Comunicação, fundada pelo pai. Colaborou com as campanhas Luís Filipe Menezes, é amigo de Marco António Costa (vice-presidente do PSD e principal responsável, pelo lado social-democrata, na campanha da coligação) e ainda de Miguel Relvas (que tem negócios no Brasil). Nas legislativas de 2011 já ajudou a campanha vitoriosa de Passos Coelho. Quando foi ao Brasil em junho de 2014, o primeiro-ministro português fez questão de passar no Recife para estar com André Gustavo.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Exclusivos