PSD vai reforçar segurança dos sites

O PSD admitiu hoje que as páginas na internet de estruturas do partido "têm sofrido ataques", comunicados à Polícia Judiciária, e garantiu que reforçará a segurança dos sites e mudará os regulamentos internos para prevenir novas situações.

"Infelizmente, o PSD tem sofrido ataques nos seus sites, verificando-se no passado ataques aos sites das distritais de Aveiro, Setúbal e Lisboa, todos eles oportunamente comunicados à Política Judiciária", afirmou o secretário-geral do partido, Matos Rosa, numa declaração aos jornalistas na sede do PSD, em Lisboa, sem direito a perguntas, na sequência da manchete de hoje do DN.

Assim, acrescentou, "o PSD irá levar a cabo todos os esforços no sentido de prevenir futuros ataques bem como a divulgação abusiva de dados dos seus militantes, reforçando a segurança dos seus sites da internet e adaptando os seus regulamentos internos".

O secretário-geral do PSD fez esta declaração aos jornalistas depois de o Diário de Notícias ter noticiado hoje que as moradas e números de telefone de 7734 militantes da distrital de Lisboa, incluindo "o primeiro-ministro, outros governantes e vários notáveis do partido" foram divulgados num `site" de partilha de documentos na Internet.

"Na sequência desta anomalia, da qual o PSD é vítima, o partido já tinha instaurado um inquérito interno, que se encontra neste momento em fase de conclusão", lê-se num comunicado divulgado hoje pelo partido e cujo conteúdo Matos Rosa reiterou na declaração que fez aos jornalistas.

No mesmo texto, o PSD acrescentou que está a colaborar com a Polícia Judiciária "para apurar responsabilidades e impedir que os dados dos militantes continuem disponíveis na Internet".

Considerando grave a divulgação indevida de dados pessoais dos militantes, o PSD referiu ainda que irá apresentar uma queixa contra desconhecidos junto da Justiça e junto da Comissão Nacional de Proteção de Dados.

Esta comissão, "aliás", acrescentou Matos Rosa, na sequência de contactos do PSD e de diversas notícias, "já iniciou um processo de averiguações".

O secretário-geral do PSD manifestou ainda o "firme repúdio e indignação" do partido "para com os atos agora perpetrados, que põem em causa direitos, liberdades e garantias dos cidadãos", acrescentado que o PSD "tudo fará para o apuramento das responsabilidades".

Matos Rosa sublinhou que esta é uma questão que "muito preocupa" o PSD e que, apesar do comunicado já divulgado pelo partido, decidiu fazer esta declaração aos jornalistas "para que não fique qualquer dúvida".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG