PSD de Castelo Branco diz que lista do círculo foi alterada sem informação prévia

Líder da distrital do PSD de Castelo Branco ficou fora da lista de candidatos a deputados, sendo substituído por Álvaro Batista, advogado que disputou e perdeu a presidência da distrital

A Comissão Política Distrital do PSD de Castelo Branco disse esta terça-feira que a lista de deputados enviada para a Nacional foi alterada sem qualquer informação prévia.

O líder da distrital do PSD de Castelo Branco, Luís Santos, ficou fora da lista de candidatos a deputados, sendo substituído por Álvaro Batista, advogado que disputou e perdeu a presidência da distrital precisamente para Santos.

"A lista enviada [para as legislativas] foi alterada sem qualquer informação prévia, alterando a composição da mesma, não respeitando as indicações do órgão distrital e das respetivas concelhias numa opção unilateral por parte da Comissão Política Nacional e sem qualquer iniciativa de interação ou auscultação junto das estruturas locais eleitas", referiu, em comunicado enviado esta terça-feira à agência Lusa, a Comissão Política Distrital do PSD de Castelo Branco.

A proposta apresentada pela Comissão Política Distrital do PSD de Castelo Branco para a lista de candidatos à Assembleia da República incluía como cabeça de lista Luís Santos, que foi o mandatário distrital de Paulo Rangel nas últimas diretas.

No entanto, o nome do atual líder da distrital social-democrata foi substituído pelo do advogado Álvaro Batista, que recentemente disputou e perdeu a presidência da distrital albicastrense para Luís Santos.

À Lusa, o presidente da distrital do PSD de Castelo Branco disse que não fazia quaisquer comentários sobre o assunto e remeteu para a nota de imprensa divulgada por aquele órgão.

No documento, a distrital social-democrata diz que é da opinião "que mais importante do que os lugares são as pessoas que os representam com responsabilidade, ética e sentido de dever para com os eleitores".

"Só um impulso de união no PSD, que relance o partido nas próximas eleições legislativas, pode romper com os erros dos governos socialistas, que nos condenaram a 20 anos de estagnação, arrastando-nos para a cauda da Europa", lê-se na nota.

Adiantou ainda que Portugal precisa de uma alternativa clara, de ambição e de uma maioria para governar com estabilidade.

"O nosso adversário não está dentro do nosso partido. Está lá fora. É a abstenção em primeiro lugar e depois os outros partidos, principalmente o Partido Socialista", concluiu.

Luís Santos foi reeleito, recentemente, presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Castelo Branco, com 58,5% dos votos, numas eleições que voltou a disputar com Álvaro Batista, que alcançou 41,5%.

O presidente da distrital venceu, em julho de 2019, as eleições, numa disputa então também com Álvaro Batista, advogado e ex-deputado social-democrata que voltou a candidatar-se à Comissão Política Distrital do PSD de Castelo Branco.

Na altura, as eleições para a distrital do PSD de Castelo Branco foram antecipadas em cerca de um ano devido à demissão do Manuel Frexes, deputado e ex-presidente da Câmara do Fundão, que liderava a comissão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG