PS quer "perceber mudança de posição" da Marinha

O PS considerou insatisfatórias as respostas dadas esta terça-feira pelo chefe do Estado-Maior da Marinha para se "perceber a mudança de posição" do ramo face aos submarinos francês e alemão em concurso para equipar as Forças Armadas.

O deputado socialista José Magalhães afirmou que esse "é um ponto fundamental, que não resulta claro das posições" transmitidas pelo almirante Macieira Fragoso à comissão parlamentar de inquérito aos programas de compra de equipamento militar (submarinos, torpedos, helicópteros EH101, aeronaves F-16, C-295 e P-3 Orion, viaturas blindadas Pandur).

Também o deputado João Semedo (BE), citando um relatório de 1998 em que a Marinha reconhecia o modelo francês Scorpene como tecnicamente superior ao alemão U209, perguntou a Macieira Fragoso se "houve outro parecer" ou avaliação entre essa data e 2004 "que levasse o Governo a ter uma opção diferente".

O almirante Macieira Fragoso - assessor militar do então ministro da Defesa Paulo Portas - disse que o processo se prolongou no tempo e que houve entretanto "uma grande evolução tecnológica", nomeadamente ao nível do sistema de propulsão independente de ar (AIP, sigla em inglês).

Assim, quando o ministro Paulo Portas - face às restrições financeiras de meados dos anos 2000 - considerou só ser possível adquirir dois submarinos (em vez dos três a concurso) e requereu uma "última e melhor oferta" aos concorrentes, "as propostas acabaram por ser alteradas em função dessas melhorias tecnológicas", referiu o almirante.

Enquanto os franceses da DCNI apresentaram o mesmo modelo de AIP (designado MESMA), os alemães da HDW "melhoraram muito o submarino, converteram-no num submarino de última geração", precisou Macieira Fragoso.

O que o chefe do Estado-Maior da Marinha não precisou é que essa melhoria no submarino alemão correspondia objetivamente a um outro modelo e mais avançado - o U214, não abrangido pelos critérios do concurso mas que continuou a ser apresentado como se fosse o original U209.

O almirante frisou ainda que os alemães "apostaram tudo" numa proposta de dois navios (baixando o preço final) enquanto os franceses continuaram a prever a eventual aquisição posterior de um terceiro submarino.Depois de Macieira Fragoso ter dito que o sistema AIP do submarino do Scorpene (modelo à época ainda em construção) "não estava provado e suscitava reservas" à Marinha, as quais se "têm vindo a comprovar" com base em informações existentes, a deputada Cecília Meireles (CDS) insistiu também nesse ponto e fez distribuir um resumo de notícias sobre o tema que datam de... 2008.

Essa é uma situação normal em sistemas de armas novos, como sucedeu com os helicópteros EH101 recebidos pela Força Aérea (parados durante semanas e obrigaram mesmo a recuperar os Puma) - e como o próprio almirante reconheceu que se verifica nos modelos novos de automóveis.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG