PS pede ao PSD que explique alterações no relatório sobre audições parlamentares

Ricardo Rodrigues defendeu hoje que o PSD deve explicar aos portugueses as alterações efetuadas ao relatório sobre as secretas

O vice-presidente da bancada socialista Ricardo Rodrigues, membro da Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, defendeu hoje que o PSD deve explicar aos portugueses as alterações efetuadas ao relatório sobre as secretas.

"Não cabe ao PS esclarecer aquilo que o PSD fez e portanto cabe em primeira mão ao PSD explicar aos portugueses e na comissão porque é que teve uma versão e porque é que alterou a sua versão original", afirmou Ricardo Rodrigues, em declarações à Lusa.

O jornal Público diz hoje que o PSD apagou do relatório preliminar sobre as audições relativas aos serviços secretos, realizadas na primeira comissão parlamentar, as referências que indiciavam ligações de titulares de cargos de chefia e de direção das secretas à Maçonaria.

O deputado socialista diz que o seu partido está disponível para "ouvir os esclarecimentos" e "apreciar" o relatório da deputada Teresa Leal Coelho, autora da primeira versão do documento.

Por seu lado, também em declarações à Lusa, a deputada do Bloco de Esquerda Cecília Honório considerou "absolutamente extemporâneo" que esta informação tenha passado para a comunicação social, porque "a discussão ainda não está arrumada".

"Não era altura deste texto aparecer na comunicação social porque alguém resolveu que é mais útil fazer esse debate na comunicação social do que chegar às conclusões que é necessário chegar no âmbito dos trabalhos da primeira comissão", sublinhou Cecília Honório.

A Lusa tentou contactar, sem sucesso, o deputado do PSD Fernando Negrão, presidente da Comissão, bem como a deputada do PSD Teresa Leal Coelho e o deputado do CDS-PP Telmo Correia.

António Filipe, do PCP, remeteu explicações para mais tarde.

Exclusivos