PS exige recontagem de votos em Paredes

O PS de Paredes vai exigir a recontagem dos votos das eleições de domingo, em que perdeu por 73 votos para o PSD, mas os sociais-democratas garantem a inexistência de irregularidades no apuramento de resultados.

Em declarações à Lusa, o cabeça-de-lista socialista, Alexandre Almeida, explicou que o PS tem dúvidas nos resultados de Gandra, última freguesia a ser apurada.

Segundo o candidato, os resultados, incluindo brancos e nulos, numa das mesas, é inferior em 180 votos ao número de pessoas que votaram.

Alexandre Almeida sustenta que as dúvidas do PS sobre os resultados naquela freguesia ficaram acentuadas com a diferença de votos, na mesma mesa, que aquele partido obteve na eleição para a assembleia municipal e para câmara. No primeiro caso teve 224 votos e no segundo apenas 30. Acresce, disse, que demorou "muito tempo" o apuramento naquela mesa.

No entanto, o representante do PS na contagem dos votos não apresentou qualquer protesto, admite Alexandre Almeida.

"Só detetámos isso depois", alegou hoje à Lusa.

Face à situação, o candidato socialista disse que na terça-feira, quando se realizar a assembleia de apuramento geral de resultados, vai solicitar a recontagem dos votos "para dissipar as dúvidas".

Se aquela pretensão não foi acolhida, o PS promete recorrer para o Tribunal Constitucional.

O presidente da câmara, Celso Ferreira, não quis prestar declarações à Lusa. Contudo, fonte da candidatura social-democrata disse estar "tranquila" e respeitar o pedido do PS.

"Para nós até era bom que houvesse recontagem para que não haja suspeitas sobre a vitória", afirmou.

O PSD reafirma que a contagem foi realizada "com regularidade".

Nas eleições de domingo, o PSD ganhou com uma vantagem de 73 votos em relação ao PS.

Comparativamente com 2009, o PSD, de Celso Ferreira, perdeu cerca de 11.000 votos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG