PS critica "silêncio" de Pires de Lima sobre a TAP

O PS reiterou esta quinta-feira o pedido de audição parlamentar ao presidente da administração da TAP, Fernando Pinto, e desafiou o ministro da Economia, Pires de Lima, a esclarecer o País sobre a situação da transportadora aérea.

"Não entendemos o silêncio do ministro António Pires de Lima e não entendemos o bloqueamento da audição da TAP na Assembleia da República por parte de PSD e CDS. Não entendemos o silêncio de Pires de Lima porque tem sido muito pródigo a falar de tudo e mais alguma coisa, em especial do célebre milagre económico que só ele vê", afirmou o deputado socialista Rui Paulo Figueiredo.

A TAP cancelou 37 voos programados para entre hoje e sábado justificando a decisão com um atraso na entrega de seis aviões do consórcio europeu de aeronáutica Airbus, algo que considera ser uma causa "totalmente alheia".

"Nós achamos completamente incompreensível este silêncio de Pires de Lima e instamos o ministro a vir dar explicações. Será que PSD e CDS sabem mais do que aquilo que os portugueses sabem?", questionou o parlamentar do PS.

A bancada socialista já tinha enviado questões aos responsáveis governativos sobre esta "companhia bandeira" portuguesa há cerca de duas semanas e propôs a presença do responsável máximo da TAP na Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicações, pretensão "chumbada" pela maioria, que adiantou ir apresentar requerimento para ouvir Fernando Pinto em setembro.

"Queremos explicações de Pires de Lima e que PSD e CDS viabilizem, ainda no mês de julho, a audição de Fernando Pinto", reiterou Rui Paulo Figueiredo, colocando ainda outra dúvida: "será que a TAP vai ser ressarcida por esses atrasos na entrega de novos aviões".

A transportadora aérea portuguesa assumiu ver-se obrigada a uma "reprogramação dos meios disponíveis" e perante a "necessidade de contratar aviões de outras companhias durante o mês de julho" para fazer face aos seus compromissos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG